quarta-feira, 5 de maio de 2021

Que importa, meu amor, que importa

 ...

Que importa se a água é calma, indiferente
Quando desliza procurando o seu destino
Se viaja por mares e rios tão calmamente
Que importa se às margens causa desatino
.
Que importa a dor cruel quando amanhece
E no peito se sente fria e ineficaz amargura
Na palavra nem sempre a verdade acontece
E no coração não existe somente a ternura
.
Que importa a gota que brota amor e beleza
Que rebola pelo rosto no silêncio da tristeza
Amor, que importa o desatino, que importa
.
Viajar pela esperança de um amor sorridente
Quando o coração se fecha sendo indiferente
Negando - se de à ternura, abrir a fina porta

...

"" R y k @ r d o ""

.

73 comentários:

  1. No hay que negarse a la ternura jamas ...Un feliz martes.

    ResponderEliminar
  2. O poema não podia ser mais lindo amei de coração💗um😘

    ResponderEliminar
  3. Parabéns, Rik@rdo!
    Um Belíssimo poema! :-)
    Dia Feliz!

    ResponderEliminar
  4. Maravilhoso,Ricardo! E o bom amor importa sempre! abraços, chica

    ResponderEliminar
  5. Amores desencontrados têm um sabor muitíssimo amargo — penso eu — escrever poesia sobre essa matéria é uma espécie de cartase.

    ResponderEliminar
  6. Um lindo poema cheio de muito amor um bjo😘😘

    ResponderEliminar
  7. Que importa, realmente?


    Abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  8. Ricardo

    um soneto muito sensível e que me agradou ler.
    que importa realmente, tantas coisas que importa?!
    boa semana e muito obrigada!

    :)

    ResponderEliminar
  9. Cada coisa tem a importância que lhe damos.

    ResponderEliminar
  10. Gosto de Documentários. Mas, não só de Documentários.
    Filmes e Série gosto muito.
    abraços,

    ResponderEliminar
  11. Belo e profundo o teu soneto Rykardo. Adorei! Parabéns!

    Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderEliminar
  12. Un soneto bellísimo.
    Te felicito.
    No son fáciles los sonetos y tú lo has bordado.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  13. Olá, amigo Ricardo, mais um dos seus cantos de amor!
    Parabéns, gostei de ler.
    Uma boa semana, com saúde.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Passei para agradecer o seu comentário no meu post especial 12 anos.
    Muito obrigada.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  15. Boa tarde Ricardo,
    Um lindo soneto de amor, muito bem construído.
    Gostei imenso.
    Beijinhos e saúde.
    Ailime

    ResponderEliminar
  16. Um lindo poema cheio de muito amor
    Beijos da Spagna

    ResponderEliminar
  17. Hermoso soneto.
    Qué importa todo, si lo que importa es a lo que le damos importacia como el amor y la belleza? Importa bien poco lo que no podemos admirar con el mimo del amor.
    Abrazos Ryk@rdo.

    ResponderEliminar
  18. Sábias palavras para a reflexão.
    Abraços.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderEliminar
  19. Muito bem! Afinal, que importa?
    Gostei muito! Na palavra nem sempre está a verdade!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  20. Que delícia esse poema. Aliás, você é mestre em poemas de amor, Ricardo!! Parabéns com louvor!!!

    ResponderEliminar
  21. Mais um poema encantador. Parabéns Poeta! :)
    .
    Não quero ficar neste panorama...
    .
    Beijos e um dia feliz

    ResponderEliminar
  22. Oi R y k @ r d o lindo poema de amor ...amei ler .
    Com carinho feliz semana !
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  23. Que importa?? Fica sempre a questão!!
    Boa semana!

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  24. Muito belo, Ryk@ardo! Realmente: quando o amor nos domina, nada mais importa! Meu abraço, amigo; boa semana.

    ResponderEliminar
  25. Não é o amor causador de dor e sofrimento, somos nós que insistimos em complicar tudo.
    Tristeza... os poetas sabem muito bem com transforma-la em lindos versos😘🌷

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saúdo com amizade e carinho o regresso dessa enorme poetisa de noe: Nádia Santos.
      Fiquei feliz

      Bem vinda. Beijinho.

      Eliminar
    2. Esse "enorme" é por sua conta rsrsr. Grata pelo carinho poeta😉

      Eliminar
  26. Que importa
    que o amor sempre em flor
    é sorriso sem pudor '_'``)

    Bela noite Ricardo.

    ResponderEliminar
  27. Que importa o que eu possa acrescentar? É preciso ler e interpretar toda a beleza intrínseca do poema. E isso pode ficar naturalmente guardado para mim!

    Cumprimentos perfumados e polvilhados de poesis

    ResponderEliminar
  28. Amigo Ricardo,
    Brindou-nos com um belíssimo soneto! Que é inequívocamente um hino ao amor.

    Parabéns pela inspiração!

    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  29. Ricardo,
    Nada importa, quando o amor nos preenche.
    Um belo soneto de amor. Parabéns!
    Abraço poético.

    ResponderEliminar
  30. Un buen soneto, el amor lo versas siempre muy bien, tus poemas tienen sentimiento. Un abrazo

    ResponderEliminar
  31. Un bello poema que nos invita a reflexionar sobre lo que importa el amor.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  32. Cuando la puerta al amor se cierra, no hay nada que hacer.

    Besos

    ResponderEliminar
  33. Que encanto de poema!

    Cumprimentos.
    http://www.opecadomoraemcasa.pt/

    ResponderEliminar
  34. Um poema repleto de recortes profundos de literatura
    Gostei

    ResponderEliminar
  35. Oi Ricardo,

    Amei sua bela poesia. Escreva um conto, pois tenho certeza que se surpreenderá.
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  36. Oi Ryc@rdo quando estamos apaixonados não damos importância a muitas evidencias de que o nosso amor não é correspondido, parece que falamos a nós mesmo, que importa, se posso ser feliz nesse momento.
    Amei o poema.
    abraços,vi

    ResponderEliminar
  37. O amigo escreve na linha de
    Petrarca, mas se achares que
    exagero eu te digo que o
    italiano é que escreve na
    tua.
    (Ri muito com o comentário
    que fizeste na página da Catiaho.
    Muito)

    ResponderEliminar
  38. Hay seres que nos traen la ternura nuevamente a la vida
    y que nos hacen sentir aquello que pensabamos perdido.
    un hermoso poema de amor y de esa locura bella de vivir. Abrazo grande Rik@rdo!!!

    ResponderEliminar
  39. insightful words...

    thank you for sharing

    ResponderEliminar
  40. Se o coração fecha,não adianta forçar. Melhor respeitar o tempo.
    Bom dia Ricardo

    ResponderEliminar
  41. É preciso que o coração, ainda que sem juízo abra-se para as possibilidades.
    Inspiração acelerada amigo.
    Abraços e dias de poesia com paz e alegria.

    ResponderEliminar
  42. Lindo poema de amor. Saludos amigo Ricardo.

    ResponderEliminar
  43. Es verdad, Rykardo...No importa nada de eso. Ha sido como siempre muy grato leerte. Un abrazo.

    ResponderEliminar
  44. Hum, hum, desta vez o poeta salpicou com tristeza um belo poema de amor.
    Coração fechado, coração partido... acontece!
    Beijo, boa quarta-feira.

    ResponderEliminar
  45. Pus a leitura em dia porque andei um pouco mais ocupada o que peço desculpa. E o que li fiquei de alma cheia...hinos ao amor e não só. Parabéns amigo.

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
  46. É verdade...nem sempre a vida sorri, nem sempre as águas são calmas, nem sempre o amor que sentimos à nossa volta é capaz de " desanuviar " um coração sofrido. Mas que importa? Temos de seguir em frente, porque a vida assim o exige e, então, melhor será continuar a amar e esperar que o dia de amanhã, se o tivermos, seja mais ensolarado e mais alegre. Amor, sempre, mesmo que a tristeza nos invada. Lindo, como sempre, Ricardo! Um beijinho e SAÚDE!
    Emilia

    ResponderEliminar
  47. Olá Ricardo,
    Mais um fantástico poema. Gostei especialmente deste verso:
    "Que importa a dor cruel quando amanhece
    E no peito se sente fria e ineficaz amargura
    Na palavra nem sempre a verdade acontece
    E no coração não existe somente a ternura"

    Espero que esteja tudo bem por esse lado.

    Saúde e Paz!

    ResponderEliminar
  48. Amigo Ricardo,
    Um poema belíssimo! Que reflete o sentimento profundo que dentro de nós vibra e clama.

    Parabéns amigo Ricardo!

    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  49. E o que importa?
    Mesmo com o coração dilacerado, temos que seguir em frente.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  50. O que importa é que é mais um belíssimo poema! :) Continuação de boa semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  51. Ricardo você sempre compartilhando lindos poemas, com certeza no coração não existe só ternura,existem muitas coisas mais abraços.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  52. Belíssimo poema que amei ler, Ricardo.
    Um carinhoso abraço
    Verena.

    ResponderEliminar
  53. Dicen que si duele no es amor... pero al leerte,es sentir esa emoción que muchas veces nos ataca.
    Precioso poema!
    Un beso.

    ResponderEliminar
  54. «Na palavra nem sempre a verdade acontece»
    E que temos então que fazer?
    Ora, pois, dar o desconto, e dizer como diz o título:
    «Que importa, meu amor, que importa?»
    :)

    ResponderEliminar
  55. Que importa? Antes de tudo o Amor.
    Belo poema. Bjs. Marli

    ResponderEliminar
  56. Muito bonito!
    Não consegui comentar no primeiro post! A caixa de comentários não abre!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Marisa Cavaleiro

      É do sistema. Anda meio tonto

      Xoxo para ti também

      Eliminar
  57. A poesia importa e o amor importa mais ainda!!

    Beijos e abraços.
    Sandra C.
    Bluestrass

    ResponderEliminar
  58. Oi Ricardo,
    Poesia de amor é aquela para quem é endereçada é e sempre será a mais bela poesia de amor.
    Linda poesia Ricardo
    Parabéns
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  59. Belíssimo soneto. Importa que o Amor seja sempre verdadeiro envolvendo a alma e mantendo aberta a porta do coração.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Gostou do que leu? Se gostou deixe uma palavrinha. Se não gostou deixe na mesma ... Leve consigo o meu agradecimento pela sua visita, quiçá, também comentário. Obrigado de coração.