terça-feira, 10 de julho de 2018

Amor do meu coração ao infinito



Quero que o meu amor seja uma estrela cintilante
Que ilumine o teu coração de um desejo profundo
Que deste amor não queiras nunca estar distante
Pois quando se ama não há lonjura neste mundo
.
Quero que sintas o meu carinho, em cada instante
Que caminhes pelas ruas, com um sorriso aberto
Que entre em teu coração este amor penetrante
Que vagueia pelo sonho por um caminho incerto
.
Quero que sorrias perante o obscuro da incerteza
Em que o teu olhar sorria num abraço de firmeza
Sabendo que o meu carinho é tão robusto e bonito
.
Que não haverão montes, nem mares, nem ondas
Nem campos, nem áridos vales, onde te escondas
Pois o amor será teu, do meu coração ao infinito

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Penso em ti quando olho o mar



Olho o mar. O seu vai e vem, abre o horizonte
Olho a montanha. Sinto as vertigens do monte
Escrevo versos em poemas de letras silabadas
Piso o areal como quem lê decibéis de escrita
Solto a garganta em gritos em voz de desdita
Que revivem um amor de uma alma cativada
.
Frase letrada por versos de um amor constante
Que lembra o carinho de um beijo apaixonante
Dado ao entardecer de um tarde de total ilusão
Molham os lábios, em águas de sincera ternura
Como se os olhares, fossem trilhos de loucura
Como louco é o amor que carrego no coração
.
Não quero que me peças que um dia te esqueça
Nem que o meu amor por ti alguma vez arrefeça
Nem que deixe, algum dia, de te querer e amar
Quando se ama e entrega o coração ao destino
Só pode existir uma margem feita de caminho
Sendo esse encontrado quando feliz, olho o mar


quinta-feira, 28 de junho de 2018

Perdemos a noção do dia ... não perdi a noção do meu amor



Perdemos a noção do dia, noite e da hora
Já nos beijámos, deitámos o amor fora
Fiquei sozinho sem vontade de sorrir
Conhecer-te foi sonho, duro desvario
Abandonei as trevas, nadei em fresco rio
Diz-me meu amor, que hei-de eu sentir
.
Fizemos diabruras, tivemos noites fraternas
Caminhámos de mãos dadas, dores eternas
Diz-me que horizontes eu posso alcançar
Nosso amor foi água em copo que derramado
Caiu no espasmo de um coração abandonado
Meu amor foi rima que formou o verbo amar
.
Fomos pedra lisa em tabuleiro embutido
Desabotoei o fecho que fechava o teu vestido
Dançávamos e o meu sapato calcava o teu
Fomos gentílicos de um amor de lírio pagão
Tive os teus seios colados ao meu coração
Como pode o meu coração ser apenas meu
.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Procuro-te nas estações do ano.



Há quantas Primaveras te procuro neste mundo
Pelas ruelas, dias e noites, de infinita escuridão
Fazendo de ti o devaneio mais forte e profundo
Sentindo o bater do teu, junto ao meu coração
.
Há quantos Verões vagueio pelas sombras vadias
Sem te encontrar, sem te ver, sem sequer te ouvir
Não sei contar os passos, as noites, tantos dias
Que cansado, descanso na beleza do teu sorrir
.
Há quantos Invernos me visto de fino sentimento
Sentindo como a torna me leva a sítios distantes
Viajo através do imaginário do meu pensamento
A fim de te amar como já te amei, por instantes
.
Há quantos Outonos te procuro pelas noites frias
Como se nessa viagem não houvesse outras vidas
Um amor onde os olhares são noites tão vazias
Dentro das nossas existências já tão esquecidas

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Amor em janela aberta


Abro a janela, entra o sol que acalma
O vento que refresca os meus desejos
Afagando os alicerces da minha alma
Que chora pela doçura dos teus beijos
.
Entra o aroma dos campos verdejantes
A magia, o som, que mitiga os sentidos
Dizendo que tudo é como era antes
Quando as tuas palavras eram gemidos
.
Talvez o vento não esteja a ser sincero
Nem me trazer as palavras que quero
Nem me sussurrar a voz do tormento
.
Não interessa se esta paixão que sinto
Entrou pela dita janela, mas pressinto
Que esse amor é apenas a voz do vento
.

terça-feira, 29 de maio de 2018

Pensamentos Vadios



Olho o céu, uma nuvem passa apressada
Versos que não rimam com coisa alguma
Sinto que a noite vai surgir estrelada
Vejo as ondas surgirem em alva espuma
.
Sinto em mim uma sensação exaltada
Que deseja algo que não sabe descrever
Tenho saudades da minha jovem amada
Mulher que vive algures sem eu saber
.
Por vezes penso que não penso em nada
Nem sei se no mundo existo por existir
Será que a minha alma anda preocupada
Por eu sentir o que não deveria sentir?
.
Queria voltar a ser um livre menino
Que toda a gente soubesse entender
Que fosse o oásis do meu destino
O teu coração que não sei perceber
.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Espuma de Amor



Não sei onde começa o sentimento de liberdade
Nem a imagem de amor que busco no teu olhar
Ondulando pelas arestas duma gelada realidade
Vogo na espuma onde entoa a saudade de amar
.
De repente o meu coração é infusão submergida
Nas pedras soltas que compõem a linda margem
Onde ondula o pensamento sobejo de uma vida
Sorrisos nativos que se esvaem na fresca aragem
.
Palavras em labareda percorrem o meu sentido
Como se o destino fosse uma folha de cerejeira
Que esvoaçasse sem que carregasse o teu ensejo
.
Onde meu corpo aceitasse como fruto proibido
E queimasse o meu coração em fogosa fogueira
Quando nossos lábios trocassem um doce beijo
.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Coração na magia dos sentidos


Dei-te o coração, a magia dos sentidos
Da minha dura vida, destino traçado
Os meus poemas desnortes sofreram
As armadilhas solitários dos gemidos
Dos versos tristes do delírio cansado
Dos meus olhos lágrimas correram
.
Lendo os poemas onde rimas completei
Onde a alma alguns desgostos destilou
E os versos foram o cristal da desilusão
Escrevi palavras que confesso nem sei
Se nas letras a branco, alguma lá ficou
Como sinal do carinho do meu coração
.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Campos Floridos ...Morte dos meus Sonhos.



Eram os campos verdejantes. O amor aconteceu
Vivo na recordação. Flores de suave lembrança
Que me afloram à mente com saudoso carinho
Por vezes ainda penso que em tudo não fui eu
Que nada fez parte da minha sedutora infância
Que foram delírios existentes no meu caminho
.
Coração puro. Flores silvestres. Manhãs de amor
Tanto que não olvido. Fazem parte da lembrança
Recordo com carinho, pois esquecer não consigo
Quando te olhava e com ternura colhia uma flor
Beijava-te e repleto de consideração e elegância
A colocava em teu cabelo como prémio sentido
.
Já mulher, disseste-me baixinho, tranquilamente
Que os nossos campos verdejantes eram incertos
E que não os querias tornar tristes e enfadonhos
Que o teu amor não podia ser meu, infelizmente
E assim pelos desígnios mais límpidos e libertos
Nesses campos morreram todos os meus sonhos
.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Amar-te... Simplesmente



Meu amor é como um oceano denso e profundo
Onde as aves se vão banhar por tudo e por nada
É maior que os alicerces que seguram o mundo
Sente a dor do amar por entre a dúvida calada
.
Sendo o sol da manhã, hálito quente de ternura
Luz das estrelas, amor e vida, noite iluminada
Entrego-te esta paixão de amor, quase loucura
Doce energia do meu sentir em voz imaculada
.
Amo-te para além das variações do amanhecer
Qual alvor sorridente em teus lábios de mulher
Sendo esse teu olhar uma luz de doce requisito
.
Quero-te por entre os ósculos d´um amor louco
Em que tudo é nada, e o muito é sempre pouco
Pois sei que vou amar-te para além do infinito
 .