quarta-feira, 16 de maio de 2018

Coração na magia dos sentidos


Dei-te o coração, a magia dos sentidos
Da minha dura vida, destino traçado
Os meus poemas desnortes sofreram
As armadilhas solitários dos gemidos
Dos versos tristes do delírio cansado
Dos meus olhos lágrimas correram
.
Lendo os poemas onde rimas completei
Onde a alma alguns desgostos destilou
E os versos foram o cristal da desilusão
Escrevi palavras que confesso nem sei
Se nas letras a branco, alguma lá ficou
Como sinal do carinho do meu coração
.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Campos Floridos ...Morte dos meus Sonhos.



Eram os campos verdejantes. O amor aconteceu
Vivo na recordação. Flores de suave lembrança
Que me afloram à mente com saudoso carinho
Por vezes ainda penso que em tudo não fui eu
Que nada fez parte da minha sedutora infância
Que foram delírios existentes no meu caminho
.
Coração puro. Flores silvestres. Manhãs de amor
Tanto que não olvido. Fazem parte da lembrança
Recordo com carinho, pois esquecer não consigo
Quando te olhava e com ternura colhia uma flor
Beijava-te e repleto de consideração e elegância
A colocava em teu cabelo como prémio sentido
.
Já mulher, disseste-me baixinho, tranquilamente
Que os nossos campos verdejantes eram incertos
E que não os querias tornar tristes e enfadonhos
Que o teu amor não podia ser meu, infelizmente
E assim pelos desígnios mais límpidos e libertos
Nesses campos morreram todos os meus sonhos
.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Amar-te... Simplesmente



Meu amor é como um oceano denso e profundo
Onde as aves se vão banhar por tudo e por nada
É maior que os alicerces que seguram o mundo
Sente a dor do amar por entre a dúvida calada
.
Sendo o sol da manhã, hálito quente de ternura
Luz das estrelas, amor e vida, noite iluminada
Entrego-te esta paixão de amor, quase loucura
Doce energia do meu sentir em voz imaculada
.
Amo-te para além das variações do amanhecer
Qual alvor sorridente em teus lábios de mulher
Sendo esse teu olhar uma luz de doce requisito
.
Quero-te por entre os ósculos d´um amor louco
Em que tudo é nada, e o muito é sempre pouco
Pois sei que vou amar-te para além do infinito
 .

domingo, 6 de maio de 2018

Mãe... ( Dia da Mãe )



MÃE

Que desdita, querida mãe, aconteceu
A idade avançou. Voz sumida, abafada
Todo o teu corpo, a resistência perdeu
Ficaste indiferente nessa cama deitada
.
Sorriso perdido, sem palavra de ternura
Assim te encontras deitada nesse leito
Teus filhos chorando. Realidade dura
Que faz doer o coração dentro do peito
.
Falo para ti baixinho. Não respondes
Beijo a tua testa, teu rosto, um calafrio
Não sei se me ouves ou se te escondes
Atrás das palavras e tristeza do vazio
.
Abre os teus lindos olhos, porque assim
Vês o teu filho, diz-me como te chamas
Promete-me que não te afastarás de mim
Nem dos teus filhos que tu tanto amas
.
Chegará o dia em que o Céu será a razão
Onde mais uma estrela de luz, terá abrigo
E nesse dia em que as lágrimas correrão
Um fragmento de mim, irá junto contigo
.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

TRISTEZA



Meu caminhar, pela vida, sentido lento
Ocas ruelas, palavras soltas, intrepidez
São hoje lentas ideias, em que o talento
Se perdeu por entre as fendas da altivez
.
Olhei o além, fui sentimento, verdade
Vivi as palavras que sabendo, talvez
Que eram a outra face da intensidade
Em que todo o deslumbre se desfez
.
A tristeza é companheira da felicidade
Caminham de mãos dadas, fertilidade
Ocultada, por precaução, sendo talvez
.
Como um homem que por amor, aflora
Vive no argumento de que nunca chora
Quando eu já chorei uma ou outra vez
 .

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Amor em libertas folhas ao vento



Caminho através das folhas do vento
Que tocam a minha face desesperada
Por sofrerem de declarado tormento
Onde a aragem é um abrigo do nada
.
Acarinho os teus cabelos lisos de amor
Beijo o teu olhar que chispando chama
Me preenche o coração de sábio fulgor
Enlaçando este corpo que tanto te ama
.
Por entre pétalas que perfumam a vida
São os teus lábios, e a tua voz sentida
Falando de amor, que vibra de emoção
.
É a doçura cálida dos teus finos beijos
Fonte límpida dos meus puros desejos
Energia linear que guia o meu coração

domingo, 29 de abril de 2018

A beleza dos Cabelos Brancos



São os sonhos, desejos, fantasias, amores
Tudo se ganha quando chega a mocidade
Soltam-se sorrisos em aromas de flores
Como lágrimas de amor em tempestade
.
Senti no peito tantos carinhos e dissabores
Subi ingremes socalcos, vivi a mocidade
Recebi beijos, ofereci abraços, vivi amores
Esqueci que a vida enferma na dura idade
.
Passaram os dias, vivi a essência das horas
Vi nascer as noites, esqueci-me das auroras
A idade foi chegando. Fugiram os encantos
.
Fica em nós a saudade dos delírios e cenas
Jovem rosto, agora pele enrugada e apenas
Disfarçada na beleza dos cabelos brancos
.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

MÃE ... LÁGRIMAS QUE BATEM FUNDO..


Mãe – três letras um sentimento profundo
Idosa. Lágrima, deste meu viver sentido
Mãos de fada. Teu olhar oco, bate fundo
Sofro contigo. Meu coração está dorido
.
Mãe – luz de pureza, água límpida do rio
Que banha o meu olhar em gotas de pesar
Por te ver em leito, de olhar tão sombrio
Que nem minhas preces te podem ajudar
.
Mãe – que ontem me acariciavas o cabelo
Me oferecias o carinho que eu sabia tê-lo
Tudo se desvanece, passado adormecido
.
Mãe – Musa dos meus sonhos de afoiteza
A palavra amiga, a energia, a doce certeza
Quando partires, algo de mim, irá contigo
.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Guerra do Ultramar, Pide, cruel ditadura



Guerra do Ultramar, Pide, cruel ditadura
Vozes sem alma, tantas palavras por dizer
Prisões, escravos, desaparecidos, ditadura
Humilhação, fechados sorrisos, vil sofrer
.
Alvorecer, homens decididos, caminhada
Saem dos quarteis, G3 ao ombro, munições
Tomam o poder, a ditadura é encurralada
Desejos de liberdade em nobres corações
.
Depois do Adeus, Grândola Vila morena
Soam nas rádios, ouvia-se a senha, o mote
Paulo Carvalho, Zeca Afonso, voz amena
Povo nas Ruas, mostrando como se é forte
.
Surge a multidão, soltam-se presos, liberdade
Uma liberdade de carácter, alegria, expressão
Soltaram-se os sorrisos em sons de felicidade
E da força do Povo ouviu-se a voz do coração
.
O cravo na mão duma criança, arma pousada
No seu cano foi colocada como bala de amor
Sorria o soldado que dessa acção abençoada
Cravo de liberdade, chamou a tão ditosa flor



segunda-feira, 23 de abril de 2018

Amor e Paixão = Simetria das emoções

(Imagem da net)
.
Amor é como fogo que pode ser passageiro
Nos refresca o peito,  nos queima e satisfaz
Odes de paixão que nos agarra em primeiro
Mas que de ferir, de maltratar, amar é capaz
.
Amor é maresia, o pôr-do-sol, a luz divinal
Várias cores, nuvens escuras, voz de ternura
Arco-íris, céu azul, flor de perfume matinal
Barco arpoado, onda bravia, satisfação pura
.
Num instante arrasador pode rolar a paixão
Onde bebemos o elixir do deslumbramento
Tantas vezes o amor cria feridas no coração
E a brisa da paixão atenua o vil sofrimento
.
Diz-me o querer que o amor pode equilibrar
E juntar-se à paixão na simetria de emoções
E nossos mútuos desejos se possam enlaçar
E vivermos o amor e paixão,  sem restrições
 ...
Autor: Ricardo Águia-Livre