segunda-feira, 4 de junho de 2018

Procuro-te nas estações do ano.



Há quantas Primaveras te procuro neste mundo
Pelas ruelas, dias e noites, de infinita escuridão
Fazendo de ti o devaneio mais forte e profundo
Sentindo o bater do teu, junto ao meu coração
.
Há quantos Verões vagueio pelas sombras vadias
Sem te encontrar, sem te ver, sem sequer te ouvir
Não sei contar os passos, as noites, tantos dias
Que cansado, descanso na beleza do teu sorrir
.
Há quantos Invernos me visto de fino sentimento
Sentindo como a torna me leva a sítios distantes
Viajo através do imaginário do meu pensamento
A fim de te amar como já te amei, por instantes
.
Há quantos Outonos te procuro pelas noites frias
Como se nessa viagem não houvesse outras vidas
Um amor onde os olhares são noites tão vazias
Dentro das nossas existências já tão esquecidas

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Amor em janela aberta


Abro a janela, entra o sol que acalma
O vento que refresca os meus desejos
Afagando os alicerces da minha alma
Que chora pela doçura dos teus beijos
.
Entra o aroma dos campos verdejantes
A magia, o som, que mitiga os sentidos
Dizendo que tudo é como era antes
Quando as tuas palavras eram gemidos
.
Talvez o vento não esteja a ser sincero
Nem me trazer as palavras que quero
Nem me sussurrar a voz do tormento
.
Não interessa se esta paixão que sinto
Entrou pela dita janela, mas pressinto
Que esse amor é apenas a voz do vento
.

terça-feira, 29 de maio de 2018

Pensamentos Vadios



Olho o céu, uma nuvem passa apressada
Versos que não rimam com coisa alguma
Sinto que a noite vai surgir estrelada
Vejo as ondas surgirem em alva espuma
.
Sinto em mim uma sensação exaltada
Que deseja algo que não sabe descrever
Tenho saudades da minha jovem amada
Mulher que vive algures sem eu saber
.
Por vezes penso que não penso em nada
Nem sei se no mundo existo por existir
Será que a minha alma anda preocupada
Por eu sentir o que não deveria sentir?
.
Queria voltar a ser um livre menino
Que toda a gente soubesse entender
Que fosse o oásis do meu destino
O teu coração que não sei perceber
.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Espuma de Amor



Não sei onde começa o sentimento de liberdade
Nem a imagem de amor que busco no teu olhar
Ondulando pelas arestas duma gelada realidade
Vogo na espuma onde entoa a saudade de amar
.
De repente o meu coração é infusão submergida
Nas pedras soltas que compõem a linda margem
Onde ondula o pensamento sobejo de uma vida
Sorrisos nativos que se esvaem na fresca aragem
.
Palavras em labareda percorrem o meu sentido
Como se o destino fosse uma folha de cerejeira
Que esvoaçasse sem que carregasse o teu ensejo
.
Onde meu corpo aceitasse como fruto proibido
E queimasse o meu coração em fogosa fogueira
Quando nossos lábios trocassem um doce beijo
.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Coração na magia dos sentidos


Dei-te o coração, a magia dos sentidos
Da minha dura vida, destino traçado
Os meus poemas desnortes sofreram
As armadilhas solitários dos gemidos
Dos versos tristes do delírio cansado
Dos meus olhos lágrimas correram
.
Lendo os poemas onde rimas completei
Onde a alma alguns desgostos destilou
E os versos foram o cristal da desilusão
Escrevi palavras que confesso nem sei
Se nas letras a branco, alguma lá ficou
Como sinal do carinho do meu coração
.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Campos Floridos ...Morte dos meus Sonhos.



Eram os campos verdejantes. O amor aconteceu
Vivo na recordação. Flores de suave lembrança
Que me afloram à mente com saudoso carinho
Por vezes ainda penso que em tudo não fui eu
Que nada fez parte da minha sedutora infância
Que foram delírios existentes no meu caminho
.
Coração puro. Flores silvestres. Manhãs de amor
Tanto que não olvido. Fazem parte da lembrança
Recordo com carinho, pois esquecer não consigo
Quando te olhava e com ternura colhia uma flor
Beijava-te e repleto de consideração e elegância
A colocava em teu cabelo como prémio sentido
.
Já mulher, disseste-me baixinho, tranquilamente
Que os nossos campos verdejantes eram incertos
E que não os querias tornar tristes e enfadonhos
Que o teu amor não podia ser meu, infelizmente
E assim pelos desígnios mais límpidos e libertos
Nesses campos morreram todos os meus sonhos
.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Amar-te... Simplesmente



Meu amor é como um oceano denso e profundo
Onde as aves se vão banhar por tudo e por nada
É maior que os alicerces que seguram o mundo
Sente a dor do amar por entre a dúvida calada
.
Sendo o sol da manhã, hálito quente de ternura
Luz das estrelas, amor e vida, noite iluminada
Entrego-te esta paixão de amor, quase loucura
Doce energia do meu sentir em voz imaculada
.
Amo-te para além das variações do amanhecer
Qual alvor sorridente em teus lábios de mulher
Sendo esse teu olhar uma luz de doce requisito
.
Quero-te por entre os ósculos d´um amor louco
Em que tudo é nada, e o muito é sempre pouco
Pois sei que vou amar-te para além do infinito
 .

domingo, 6 de maio de 2018

Mãe... ( Dia da Mãe )



MÃE

Que desdita, querida mãe, aconteceu
A idade avançou. Voz sumida, abafada
Todo o teu corpo, a resistência perdeu
Ficaste indiferente nessa cama deitada
.
Sorriso perdido, sem palavra de ternura
Assim te encontras deitada nesse leito
Teus filhos chorando. Realidade dura
Que faz doer o coração dentro do peito
.
Falo para ti baixinho. Não respondes
Beijo a tua testa, teu rosto, um calafrio
Não sei se me ouves ou se te escondes
Atrás das palavras e tristeza do vazio
.
Abre os teus lindos olhos, porque assim
Vês o teu filho, diz-me como te chamas
Promete-me que não te afastarás de mim
Nem dos teus filhos que tu tanto amas
.
Chegará o dia em que o Céu será a razão
Onde mais uma estrela de luz, terá abrigo
E nesse dia em que as lágrimas correrão
Um fragmento de mim, irá junto contigo
.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

TRISTEZA



Meu caminhar, pela vida, sentido lento
Ocas ruelas, palavras soltas, intrepidez
São hoje lentas ideias, em que o talento
Se perdeu por entre as fendas da altivez
.
Olhei o além, fui sentimento, verdade
Vivi as palavras que sabendo, talvez
Que eram a outra face da intensidade
Em que todo o deslumbre se desfez
.
A tristeza é companheira da felicidade
Caminham de mãos dadas, fertilidade
Ocultada, por precaução, sendo talvez
.
Como um homem que por amor, aflora
Vive no argumento de que nunca chora
Quando eu já chorei uma ou outra vez
 .

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Amor em libertas folhas ao vento



Caminho através das folhas do vento
Que tocam a minha face desesperada
Por sofrerem de declarado tormento
Onde a aragem é um abrigo do nada
.
Acarinho os teus cabelos lisos de amor
Beijo o teu olhar que chispando chama
Me preenche o coração de sábio fulgor
Enlaçando este corpo que tanto te ama
.
Por entre pétalas que perfumam a vida
São os teus lábios, e a tua voz sentida
Falando de amor, que vibra de emoção
.
É a doçura cálida dos teus finos beijos
Fonte límpida dos meus puros desejos
Energia linear que guia o meu coração