quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Mágoas Sentidas

Sinto no peito a vontade
Sinto na alma o desejo
Saído na delicia de um beijo
Dado no seio da saudade
De quem vive e num bocejo
Sente o calor da felicidade
Porque quem ama de verdade
Sente a dor com carinho
Pois no fogo de um beijinho
Existe a cura da maldade

Deixa que o amor se encontre
Suba a encosta em direcção ao monte
Fustigado pelo frio vento
Para que no seu cansaço
Fique unido num abraço
E se esqueça que existe tempo

Subindo a encosta da vida
Se encontra a verdade perdida
De promessas feitas em vão
Quantas vezes proferidas
Abrindo chagas e feridas
Dilaceradas no coração

No olhar existe o amor
Existe também o calor
De palavras por oferecer
Existe a paz e o alento
A ternura de um sentimento
E um sorriso por dizer

2 comentários:

  1. Lindo poema, porém triste.
    Ontem vc esteve no meu blog, estou aqui retribuindo.
    Publiquei o Soneto VIII de Shakespeare e uma crítica sintética do filme Southerland Tales. Vai lá para dar um forcinha.
    Beijo, Renata

    ResponderEliminar
  2. Olá renata

    Bem vinda. Apereça sempre

    Seja feliz
    .

    ResponderEliminar