domingo, 15 de fevereiro de 2009


Olho os areais por águas batidos
Sinto o bater do coração
A paz; a ilusão
Mexo na areia molhada
Sentimentos em desfolhada
Sorriso de esperança
Voz calma da paixão
Ouço o canto duma sereia
É a frescura da areia
Que me envolve; me acalma
Vejo as gaivotas na sua dança
No seu olhar em "voz" calada
Vejo as águas que baloiçam
Em ondas de alta voltagem
Que me refrescam
Com a sua doce chegada
Me transmitem a felicidade
Quando na suavidade
Olho os areais por águas batidos
Que parecem chamar por ti

5 comentários:

  1. Acho que te safavas melhor se fosses passear para um centro comercial. Mas pronto... Há horas para tudo.

    ResponderEliminar
  2. O mar é sempre nosso comparsa quando se fala de amor..
    Lindo poema.
    beijo

    ResponderEliminar
  3. QAmor é uma complicação,que nem cntro comercial...

    ResponderEliminar
  4. Porque me vou ausentar, a partir de hoje à noite e até meados da próxima semana, não poderei, neste período, fazer, como tanto gosto, as habituais visitas e comentários.

    No entanto deixarei programado (assim espero!) um post para ser publicado na quinta-feira (Anita) e outro para domingo, que, se quiseres, podes ir ver.

    HOJE, AINDA, TENCIONO PUBLICAR NO LÍRIOS.

    Até ao meu regresso.
    Bom Carnaval.

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar

Gostou do que leu? Se gostou deixe uma palavrinha. Se não gostou deixe na mesma ... Leve consigo o meu agradecimento pela sua visita, quiçá, também comentário. Obrigado de coração.