sexta-feira, 6 de agosto de 2021

A "vida" do/a sem abrigo

 ...

O Sol fechou-se, chegou a noite escura
E as estrelas tornaram-se um claro véu
Apenas a luz do luar, oferecia a ternura
Ficando afável desfrutar da cor do Céu
.
Estando só, olhando a fria rua, pensando
Como voltar ao caminho por si deixado
Não aquele que a vida, o/a foi obrigando
Mas ao caminho que deixou abandonado
.
E as palavras soltas surgiram em reflexão
Fazendo o seu corpo de pesar, estremecer
Algo lhe apertava as paredes do coração
Decerto tristes pensamentos por nada ter
.
Existia em si dura dor, um latejar de alma
Um sorriso aflorou aos seus lábios secos
Sentindo naquela noite iluminada e calma
A tristeza e angústia, dos solitários becos
...
"" R y k @ r d o ""
.

73 comentários:

  1. La soledad, el abandono y la pobreza, que al menos se siente iluminada por esa noche de luna en tus versos.
    Saludos.

    ResponderEliminar
  2. Uma "lembrar poético" sobre esta enorme franja de todas as sociedades.
    Conversei e ajudei muitos e digo-te Ricardo que ainda hoje visualizo as suas caras. Muitos/bastantes não querem deixar essa vida e um deles era pai de um colega meu que depois da morte da mulher foi muito abaixo e não tinha necessidade de ir viver como sem abrigo. O único filho que tinha, mas tudo fez para o tirar dessa situação e só conseguiu quando certo dia foi parar ao hospital. Depois ficou mais uns meses num lar e faleceu há muito.
    Quando eu ia trabalhar e descia a escadas do Rossio sentava-me ao lado dele, falava e dava-lhe o que o meu colega me entregava na véspera, e depois dava notícias ao filho. Um caso muito complicado e o senhor era tremendamente teimoso mas muito afável e tratava-me sempre tão bem. Enfim!

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estimada amiga Fatyly

      Sim, é uma verdade. Existem pessoas que vivem na Rua e por nada saem dela. Também conheci um caso análogo em que um senhor - a mulher havia-o, na sua opinião e parece que foi verdade, traído - que vivia na rua - já faleceu - tinha duas filhas que o queriam - em casa - com elas mas ele não aceitava que os genros lhe dissessem, por exemplo, para tomar banho. Enfim. Existe de tudo um pouco mas a grande maioria é miséria mesmo.
      Retribuo os beijos e os votos de um bom dia.

      Eliminar
  3. É muito triste ver estas pessoas nestas condições.

    ResponderEliminar
  4. Triste realidade essa e eles em geral, além de si, cuidam dos cachorrinhos que adotam... Linda poesia! abraços, chica

    ResponderEliminar
  5. Excelente poema que reflecte uma triste realidade.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  6. Bom dia de paz, amigo Ricardo!
    Cada vez mais aumenta o cenário que você nos mostra. Uma cruel realidade que, postada, fica amenizada, mas não resolvida.
    E catarse para nós que somos impotentes ante tal situação.
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
  7. Uma triste realidade, infelizmente, brilhantemente retratada no seu poema.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  8. é muito triste. com a crise no brasil aumentou expressivamente o número de pessoas e famílias inteiras em situação de rua. beijos, pedrita

    ResponderEliminar
  9. Ciao hai descritto benissimo una triste realtà....tutti possiamo finire così in un attimo
    Buona giornata

    ResponderEliminar
  10. Triste realidade, nesse último ano, pessoas foram para as ruas por não terem trabalhos. Não tem como comprarem alimentos e nem pagarem uma moradia.

    Um bellíssimo poema, Ricardo.
    Saudações e uma feliz quinta-feira!

    ResponderEliminar
  11. Olá, amigo Ricardo!
    Infelizmente, está realidade aumenta a cada dia que passa. Os motivos e razões são vários, seria bom, que este paradigma mudasse.

    Excelente poema, para todos nós refletirmos.

    Abraço, e ótima quinta feira!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde Ricardo,
    Um poema muito bonito sobre uma realidade que faz doer!
    Cabe também aos poetas falar destas dores.
    Um beijinho e ótimo dia.
    Ailime

    ResponderEliminar
  13. Muito linda esta poesia, meus parabéns.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderEliminar
  14. Seus versos tão bonitos e sentidos, mostrou a dor, a solidão, o desamparo, o quase nada para se apegar destes que vivem as margens, de um triste destino.
    É uma problemática muito maior que supomos, a miséria que vemos é somente a ponta do iceberg, há tantas histórias na vida de cada um destes que não tem abrigo.
    Um poema para abrir-nos os olhos e termos atitudes concretas de ajuda!
    Boa tarde, pra você, um abraço
    Valéria

    ResponderEliminar
  15. Um poema que retrata bem a realidade de quem faz da rua o seu refugio. Rua essa, cada vez mais ocupada pelos sem abrigo. Gostei bastante. Obrigada pela tua sensibilidade poética!
    .
    Perco-me na doçura do teu sorriso
    .
    Beijo e um excelente dia
    Boas férias, se for o caso! :)

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde, Rikardo!
    Uma linda poesia, referência poética sobre a triste vida das pessoas em situação de rua. Infelizmente, desde que me conheço por gente isso sempre existiu e acredito que sempre existirá. E os motivos são vários, há casos e casos, mas penso que a miséria é o vetor da maioria dessas situações. Infelizmente a pandemia fez tudo piorar, não só aqui no Brasil, mas a nível mundial.
    Parabéns pela poesia.
    Bjs
    Marli

    ResponderEliminar
  17. Muito comovente e realista.
    Continuação de uma boa semana.
    Saúde e muita paz é o que lhe desejo.

    :)

    ResponderEliminar
  18. Excelente poema e historia de vida, siempre me pregunto que habra pasado para que esa persona tenga que dormir y vivir en la calle. Miles de causas se me cruzan... pero muchos no sobreviven al frio de la noche... es triste la imagen.
    Gracias tu poema nos hace reflexionar sobre estas personas que seguro necesitan el cariño de su familia.
    Te mando un abrazo fuerte!!

    ResponderEliminar
  19. Verdadeiro e real estes versos, com está pandemia tem aumentado muito está situação triste de pessoas em situação de rua.Muitos perderam emprego e tem famílias inteiras assim . Alguns tem conseguido ajuda.Amigo fique bem .

    ResponderEliminar
  20. Realista e reflexivo poema, também bonito.
    O meu abraço nesta boa tarde...

    ResponderEliminar
  21. A primeira vez que enfrentei essa terrível realidade foi na minha primeira visita a Paris (em Portugal nunca tinha visto alguém sem abrigo). Ao ver os “ Clochard” debaixo de uma ponte do Sena, pensei que se tratava de uma cena de um filme. Há vários filmes sobre esse tema, especialmente filmes franceses.

    NÃO é uma gentileza, quando digo que gostei deste teu poema, Ricardo, embora descreva suavemente e romantizada essa realidade que se alastra cada vez mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresa

      Visita Lisboa e vais ver em tantas e tantas esquinas, sem abrigo femininos e masculinos.
      São ruas onde nunca passa ninguém do Governo ou da segurança social, pelo menos, em datas em que não há eleições. E, acredita, estão em ruas principais e muito concorridas, inclusive por turistas. É "fruta" amarga dos tempos

      És sempre uma simpatia. Ponto.

      Fica bem

      Eliminar
  22. Cada uno tiene una historia, que le ha llevado a ese pozo sin fondo en donde no encuentran salida.

    He oído que en ciertas ciudades hay una serie de voluntarios que le lleva algo de comida y un poco de conversación. También en ciertas zonas se han construido albergues, para que puedan tener un techo donde resguardarse de noche.

    Besos

    ResponderEliminar
  23. Parabéns! Um belo poema de intervenção social.

    Saudações cordiais.
    ~~~~~

    ResponderEliminar
  24. cada história, deve ser um aperto no coração

    gostei

    abraço

    ResponderEliminar
  25. Muito triste, mas a poesia também deve traduzir tristeza, se necessário.
    Coisas de Feltro

    ResponderEliminar
  26. Poucas coisas haverá mais tristes do que viver na rua - a mãe de todas as solidões.
    Muitas pessoas tiveram muito e tudo perderam.
    Uma boa noite, Ricardo.

    ResponderEliminar
  27. É a realidade destes dias, comovente!!

    Cumprimentos.
    http://www.opecadomoraemcasa.pt/

    ResponderEliminar
  28. Fico muito triste com a situação do sem teto, sem lar ...
    Ajudo no que posso.
    E os governantes que nem ligam ... meu Deus, até quando?
    Beijos.
    blogjoturquezzamundial

    ResponderEliminar
  29. Quem dera eu puder ajudar todos os de rua.. meu coração se parte!

    garotastarfashion.blogspot.com

    ResponderEliminar
  30. Uma triste vida viver nas ruas. Alguns não resistem e se envolvem com as rogas para resistir.
    E esses não aceitam ajuda porque se acomodaram no sofrimento _ muito triste aí que entra o dever absoluto dos governantes para abrigá-los num lugar seguro .
    E você diz bem Ricardo- é um 'latejar da alma'.
    Fica bem ,amigo

    ResponderEliminar
  31. "Existia em si dura dor, um latejar de alma..." a poesia ditada pela alma onde as palavras brincam de enfeitar a realidade. Parabén,

    ResponderEliminar
  32. Uma situação de cortar o coração que você abordou com muita sensibilidade e beleza.
    Abraço

    ResponderEliminar
  33. Boa noite
    Triste ver a noite chegar e não ter um abrigo,um aconchego.
    Abraço

    ResponderEliminar
  34. Un poema muy conmovedor. Es una triste realidad que ojala pudiéramos cambiar. Te mando un beso

    ResponderEliminar
  35. Quantas pessoas morrerem de fome e frio e ninguém faz nada.
    Deus disse:quem não fizer caridade não entrará no reino dos Céus.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  36. É uma das coisas que me alegra em Macau - não há sem abrigo.
    Abraço, bfds

    ResponderEliminar
  37. Qué triste y melancólica imagen. Tantas personas en situaciones de vida difíciles.

    ResponderEliminar
  38. Vidas tristes e sofridas, cada um com as suas razões.
    Belíssimo poema
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  39. Um poema tocante sobre uma realidade que deveria chocar toda a sociedade!

    Cordiais saudações e bom final de semana

    ResponderEliminar
  40. ¡Qué triste debe ser la vida de las personas sin hogar! Rykardo...sin un techo que los cobije...¡qué dolor y qué miseria! mejor sería no haber nacido. Gracias por escribir de este tema tan sensible y real en nuestros países latinos. Un saludo y bendiciones.

    ResponderEliminar
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  42. Escrito en castellano, veo que lo traduce como quiere...

    Las palabras "pecado" y "codicia" no las he empleado! Desvirtúan el texto. ¡No me hago responsable del mismo.

    Chao.

    ResponderEliminar
  43. Ni este último se ajusta a mis palabras.

    ResponderEliminar
  44. Muito sensível o poema! Gostei muito dele :)

    https://www.biigthais.com/

    Beijoos ;*

    ResponderEliminar
  45. Muchos ya no pueden volver atrás.
    Qué pena.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  46. Uma realidade, escrita de forma "poética".
    Gostei imenso Rikardo.

    Beijinhos[(GL)]
    Feliz Dia[(#)]

    ResponderEliminar
  47. Relendo esse grande poema, palavras sentidas. A realidade de muitos...

    Boa sexta-feira, Ricardo!
    Saudações

    ResponderEliminar
  48. Poeta, RICARDO !
    Somente um Poeta poderia traduzir uma dor, como
    esta.
    É muito profunda, e as lembranças do passado são,
    certamente, tormentosas, impedindo enxergar o
    caminho de volta...
    Lindo Poema ! Parabéns, amigo !
    Um feliz final de semana e um fraternal abraço,
    aqui do Brasil !
    Sinval.

    ResponderEliminar
  49. Uma realidade cada vez mais presente! Abraço

    ResponderEliminar
  50. Todos nos devemos envergonhar com tamanha tristeza.
    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  51. Un poema solidario, que nos muestra tantas realidades que habitan las calles del mundo y los caminos de la vida...Hay que mirar en profundidad y ser conscientes de nuestro alrededor. La indiferencia es inhumana y hace mucho daño a los desfavorecidos.
    Mi abrazo entrañable Rikardo

    ResponderEliminar
  52. É muito triste ver que existem pessoas vivendo dessa forma, infelizmente essa é uma realidade, Ricardo abraços.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  53. Uma realidade cada vez maior, muito triste.
    Aqui muitos e muitos, dá pena de ver.
    abraços!

    ResponderEliminar
  54. Triste realidade 😭,..
    Te desejo de coração feliz fim de semana ❣️
    Com meu carinho sempre abraços 💖🙏💐🌷

    ResponderEliminar
  55. Un poema triste y una imagen que da mucha pena. Gracias por tu felicitación.Saludos

    ResponderEliminar
  56. Como deve ser triste viver assim, ter a rua, a noite, os becos e uma multidão de pensamentos solitários para preencher sua noite vazia... Belo trabalho poético.

    ResponderEliminar
  57. Oi Ricardo,um poema lindo e ao mesmo tempo triste que retrata uma realidade inegável. Ajudamos como podemos. Mas falta tanto ainda a fazer. Triste e sofrido conviver com a realidade dos moradores de rua. Nessa época de frio então, é muito sofrido. Abcs. Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  58. Que descrição de sentimentos de quem não tem abrigo e o encontra nas ruas.

    ResponderEliminar
  59. Oi Ricardo,
    Às vezes me pergunto: Por que??
    A mendicância é a vergonha de um país corrupto.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  60. Versos belos, mas muito tristes. E aqui tem feito muito frio, vários moradores de rua morreram, fico com o coração partido.

    Beijos/Kisses.



    Anete Oliveira

    Blog Coisitas e Coisinhas

    Fanpage

    Instagram

    ResponderEliminar
  61. Que triste realidad. Un poema conmovedor. Saludos amigo

    ResponderEliminar
  62. Los caminos del dolor...hay tantas formas y motivos que algunos pueden caer en esto y entregarse a la indiferencia humana o a la solidaridad...

    Gracias

    ResponderEliminar
  63. Um poema tocante, que muito apreciei! Realidades, cada vez mais presentes, neste mundo... de crise em crise...
    Belíssimo momento poético! Um grande abraço!
    Ana

    ResponderEliminar
  64. Belo poema, Ricardo! A dor que supomos deve estar bem longe dessa realidade cada vez mais presente em nossa sociedade. Todo apoio, sem julgamentos é um ato de bondade.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  65. Um poema maravilhoso. Tocante a forma como nos faz refletir sobre esta realidade tão atual. Foi uma homenagem bem merecida por quem vive em tal provação. Beijinhos, uma boa tarde!

    ResponderEliminar
  66. Tocante e real .
    Infelizmente tão perto de nós e grande parte das vezes perto demais da nossa indiferença.
    Abraço*

    ResponderEliminar

Gostou do que leu? Se gostou deixe uma palavrinha. Se não gostou deixe na mesma ... Leve consigo o meu agradecimento pela sua visita, quiçá, também comentário. Obrigado de coração.