segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Ardendo comigo na chama da paixão




Queima aqui no peito, um lume de paixão
Resíduos naturais dos beijos que trocámos
Amor ardente, cinzas produzidas do vulcão
Que salpicam esse carinho que granjeámos
.
Palavras de ternura no crepúsculo sentido
Onde deixámos arder, o nosso sentimento
Fagulhas de lume,  de um amor enaltecido
Ardendo lentamente no nosso pensamento
.
São os teus lábios fontes de água cristalina
Que os meus molham de doçura pura e fina
Queimando meu corpo em chama reluzente
.
Se uma fagulha envolvesse o teu entardecer
Decerto que nesse lume tu virias desfalecer
E comigo ardias em amor, feliz, docemente
.

8 comentários:

  1. Maravilhoso poema. Versos que enaltecem um grande poeta

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Ler este poema, deixou-me maravilhada

    Beijinho de admiração

    ResponderEliminar
  3. Boa noite, Ricardo!
    Um poema lindo, envolvente, doce...Um poema soberbo!! AMEI!

    Protagonista em tempo presente.
    Beijos e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  4. Votos de um santo Natal.
    Com a chama do amor sempre acesa.

    ResponderEliminar
  5. Poema lindo demais. Sempre com poemas de fazer levitar o nosso coração. :))

    Bjos
    Votos de uma óptima terça-feira

    ResponderEliminar
  6. Um poema magnífico!
    Gostei imenso.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  7. Poderoso e apaixonante poema!
    Como sempre, extraordinariamente construído e com emoções em perfeita sintonia.

    Um abraço gigante

    ResponderEliminar
  8. Apaixonado e belo poema.
    Para si e para a sua familia desejo um Natal muito Feliz e um Ano Novo repleto de incontáveis momentos de alegria, saúde, sonhos realizados, paz e amor.
    Um grande abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar

Gostou do que leu? Se gostou deixe uma palavrinha. Se não gostou deixe na mesma ... Leve consigo o meu agradecimento pela sua visita, quiçá, também comentário. Obrigado de coração.