sábado, 8 de dezembro de 2018

Amar na Paz do Vento


Sou como o vento que areja as orlas do mundo
Procurando um destino, um oásis, de frescura
Onde minha sede se sacie, num mar profundo
E o teu sorriso seja maresia de mélica candura
.
Procuro-te através dos arvoredos mais abertos
Onde o som dos teus passos eu consiga ouvir
Que o meu amor me leve através dos desertos
Onde encontre os teus lábios de amor, a sorrir
.
Outono, folhas caídas em olhares inconstantes
Vazio desfolhar por ventos trocados, distantes
Que sopram velozes acabando por nos afastar
.
Terras de além que carinhos o vento nos trará
Se nos depararmos,  é porque o amor vencerá
Na paz do vento nossos egos se possam amar
 .

9 comentários:

  1. Mais uma linda inspiração para delicada poesia,Ricardo! Beleza! abraços, chica e lindo domingo!

    ResponderEliminar
  2. Um poema encantador... Parabéns Poeta:))

    Hoje : Banho de Amor em Serenas Águas. {Poetizando e Encantando}
    Bjos
    Votos de uma boa noite e um óptimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde Meu Amigo!
    Como sempre, é um orgulho enorme ler-te. Poema soberbo...Amei!! :)

    Beijinhos e um Domingo Feliz!

    ResponderEliminar
  4. Deixou-me fascinada com tão belo poema

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Soltamos ao vento cada angústia que nos fere o pensamento…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Um poema que prende porque fascina a alma, amei!
    Beijos carinhosos!

    ResponderEliminar
  7. Palavras leva-as o vento?
    Neste caso o vento trouxe as palavras.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  8. EXTRAORDINÁRIO!
    Como sempre mostras o grande poeta que és e alma sensível que possuis.
    Adorei!!!

    Um abraço e dia feliz

    ResponderEliminar
  9. Que os bons momentos sejam eternos. Feliz Natal!
    AG

    ResponderEliminar

Gostou do que leu? Se gostou deixe uma palavrinha. Se não gostou deixe na mesma ... Leve consigo o meu agradecimento pela sua visita, quiçá, também comentário. Obrigado de coração.