domingo, 25 de janeiro de 2009

"Vejo-te" sem ver

Que a ataraxia dos meus instantes
Eleve a atimia que sinto na alma
E nos teus olhos lindos, constantes
Encontre o trilho da tarde calma

Olho a rua e o borraçar é constante
E sinto a melancolia do ensejo
São bóreas que te fustigam levemente
E me fazem sonhar com o teu beijo

Abro a janela e deixo o vento entrar
Sinto a brisa mosquear o meu semblante
Sei que és tu que estás a chegar
Pela maviosidade sentida e arrepiante

E nos meneios do teu corpo ardente
Sinto o calor da erupção desalinhada
Perco-me entre o ser ou não ser gente
Onde a minha vontade é desadornada

6 comentários:

  1. Meu Amigo,tenho um selo para ti,no
    meu blog:"Selo Poesias de Alma Poeta". Passo-te com muito carinho.
    Bom domingo.
    Beijoo.
    isa.

    ResponderEliminar
  2. Quando se sente o sentir o sentimento esta presente
    bj

    ResponderEliminar
  3. Passando pra te desejar um bom restinho de domingo e que a semana lhe traga boas surpresas...

    bjo carinhoso.

    ResponderEliminar
  4. *
    escuta a dor
    no silencio do pensamento
    o meu tormento
    no vento
    do meu temor,
    ,
    Abraço,
    ,
    *

    ResponderEliminar