segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Um movimento. Um instante

No movimento desencontrado
Em que as tuas mãos afagam
O meu rosto de suor molhado
De tantas jornadas, cansado
E em que as rugas se apagam

O teu perfume de ocasião
O teu olhar desconcertante
São para mim um instante
Qual barco navegante
Que aroma o meu coração

2 comentários:

  1. Olá querido Amigo,
    Lindo poema... ficou em meu coração,
    Beijinhos de carinho e ternura,
    Fernandinha

    ResponderEliminar