terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Se ao "voares"
Te sentires livre como um avião
Não te esqueças que os meus braços
São para ti, um aeroporto.

4 comentários:

  1. Isto é é escrito já a contar com a insustentabilidade da leveza de um ser: que por acção da gravidade ou outra coisa, cai sempre.
    (comentário inspirado no título daquele livro chamado "a insustentável leveza do ser")
    :)))

    ResponderEliminar
  2. ...que por acção da gravidade ou outra coisa, cai sempre.


    Cai mesmo?
    .

    ResponderEliminar
  3. Se é insustentável, cai! Lógico!
    A leveza é como a atenção, não duram muito: uma fica pesada e a outra dispersa-se. Somos assim.
    :)

    ResponderEliminar
  4. A leveza é como a atenção, não duram muito: uma fica pesada e a outra dispersa-se. Somos assim.


    É um facto ... insustentável, lol
    .

    ResponderEliminar