quinta-feira, 11 de dezembro de 2008


Quando cai a noite sobre o mar
E a imensidão são bolhas de água
Reparo no teu olhar de mágoa
Quando para ele estás a olhar

Será de ver as ondas bravias
Que te acalmam as noites e dias
Será o horizonte que te cativa

Ou será que no teu coração
Existe a Paz, em ilusão
Que desse surgirá, outra vida?

6 comentários:

  1. bonita poesía. Muy bonita. Visita si quieres mi blog sofa de lectura. Un abrazo.

    ResponderEliminar
  2. Bonito texto, amo o mar e toda a sua imensidão, fico triste quando o olho, tamanha grandeza e sempre sozinho em todas as noites de luar.. amo o mar mas tenho medo de olhar, e derrepente uma onda vir me levar...

    ResponderEliminar
  3. Que lindo!

    Ao ler foi como se eu estivesse diante do amr sentindo as ondas tocarem a minha pele.

    Verdadeiro sentir... assim defino o que vivi nesse instante!

    Estarei sempre aqui!

    Abraço carinhoso

    ResponderEliminar
  4. Esperemos que sim: que deixe de ser uma ilusão e que (re)surja outro.
    :)

    ResponderEliminar