sexta-feira, 8 de maio de 2009

Versos, poema em valor ondular
Luz em promessas de trovador
Carinhos enviados num olhar
Ósculos trocados, juras de amor

Esperança de afecto, alva brancura
Manhã de verão em sentido oposto
Quando passas pela calma frescura
Que precede o fulgor do teu rosto

Clarão que inflama e alma afogueia
Peitilho de querença que incendeia
Quando se pensa na amada paixão

Gratifica a esperança de vida nova
Qual trovador que canta a sua trova
Quando te vê passar, linda de paixão
.

7 comentários:

  1. Só os trovadores entendem a paixão
    beijo

    ResponderEliminar
  2. Lindas sois todas vós

    Beijinhos do AL e bom FDS
    .

    ResponderEliminar
  3. juras de amor...delícia que é a paixão...

    Bom fim de semana...bjo!

    ResponderEliminar
  4. Quem, eu? Eu é que sou essa da paixão? Nota-se?
    :)))
    Estou a brincar. Olá, AL!!!

    ResponderEliminar
  5. Por um instante pensei que o poema estivesse organizado em sílabas poéticas iguais, mas mesmo assim está lindo! Alguns versos coincidem em terem 10 sílabas poéticas.

    ResponderEliminar
  6. @Lucas vallim

    Estimado amigo

    Eu não sou um poeta. Simplesmente gosto de brincar com as palavras

    Cumpts
    .

    ResponderEliminar
  7. Um terno poema sem dor, mas com muito amor...
    abraço e boa semana.

    ResponderEliminar