sexta-feira, 8 de maio de 2009

Marionetas

A vida é uma escada
Sem corrimão
Debaixo de um Céu
Que já perdeu o chão

O Homem com malícia
Do seu semelhante
Um corrimão construiu
Onde só tem valor
Quem mais alto subiu

Os Senhores da Terra
Sem temor
Guerras inventam
Em seu favor
Marionetas são
Presos a fios
Vivem a ilusão
Com corações vazios

Já não há verdade
Amor, respeito, alegria
À Terra sugaram
O que de bom havia
São bocas que não falam
Olhos que não vêem
Corações que gritam

PORQUÊ
......................

Poema escrito, hoje, pela minha esposa, companheira de tantas jornadas
que me o efereceu num momento de (maior) carinho.

Nunca tinha escrito, nem um papel, para ir ao supermercado.
Está lindo

8 comentários:

  1. Quando o coração sofre as injustiças da vida, resvalam as palavras no pensamento dos valores.
    Bjs

    Isabel Maria

    ResponderEliminar
  2. Mensagem cheia de suavidade e contéudo, onde espreita alguma revolta incontida
    Cumpts
    Mário Alegre

    ResponderEliminar
  3. Sentida esperança em coração de vida.
    Divina mensagem
    FS

    ResponderEliminar
  4. Temos aqui veia poética, muito sentimento... gostei muito! É para continuar, queremos ler mais poemas de bela inspiração!
    Um beijo com carinho, da Marisa

    ResponderEliminar
  5. Bjos pra sua esposa!

    Tá lindoooooo o poema mesmo!

    Bjos pra vc tb!

    ResponderEliminar
  6. Um poerma onde a amargura está presente mas que na alma de quem escreveu existe o grito de liberdade bem presente na pergunta: Porquê?.
    *
    *
    Manuel Franco

    ResponderEliminar
  7. AL, podes reformar-te do blog! À vontadinha!!! Vai ficar tão bem entregue que eu nem tenho pena que fiques a descansar!

    ResponderEliminar
  8. Um encanto escondido dentro de um coração "ferido"...
    A poesia revela o que o autor sente de verdade, se ocultando por de trás de uma mascara neste grande espetaculo que é a vida!
    Beijinhos para voçês dois e as maiores felicidades!
    Gina

    ResponderEliminar