segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Chegam em choros de cansaço, ondas trinadas


Alto mar. Ondas que se esbatem pelo caminho
Desejando caminhar até ao descanso no areal
Mascaram o seu desejo em abraços de carinho
Querendo chegar onde ninguém lhes faça mal

Chegam em choros de cansaço, ondas trinadas
Parecem deleitar-se escorrendo em vai e vem
Deixam lágrimas em puras gotas, imaculadas
Oferecem frescura de amor sem olhar a quem
.
São as gaivotas, companheiras da longa viagem
São os barcos que nelas navegam em harmonia
São os peixes seus filhos, bênçãos conseguidas
.
Aves que voam solfejando poemas de coragem
Agradecem ao mar alto o fim da sua monotonia
Ao verem no areal gotas sarando as suas feridas
.
Autor: Eu
.

22 comentários:

  1. Boa tarde Ricardo!
    Começas a semana no teu melhor resisto. Poema sublime. Amei. É um consolo ler-te. ;-)

    Beijinhos e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  2. Um Poeta de mão cheia.
    Excelente!!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde. Por momentos consegui "navegar" este, alto mar lindo demais. Adorei.

    Bjos
    Boa Segunda-Feira


    ResponderEliminar
  4. Amigo Ricardo
    Os seus sonetos encantam! E então quando a inspiração é a Natureza, parece que tudo fica mais Belo!
    Uma feliz semana.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  5. Lindíssimo poema, amo o mar, minha filha mora em frente ao lindo mar de Itanhaém, litoral de São Paulo, onde de vez em quando dou uma chegada lá para matar a saudade!
    Tudo o que se refere a essa linda imensidão de águas, me dão também belas inspirações!
    Amei ler aqui meu amigo poeta de belos sonetos que nos apegam!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  6. Parabéns, adorei o seu poema.

    Bjocas e um dia lindo.

    ResponderEliminar
  7. Um poema ao mar. Claro que o achei muito belo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Um poema em forma de soneto, bem rimado e bem construído.
    Como inspiração o mar, que é e acho eu a eterna inspiração dos poetas.
    Está um bom trabalho poético.
    Boa semana.
    Saudações poéticas!
    :)

    ResponderEliminar
  9. Olá Ricardo,
    Se as ondas sentissem cansaço muitas morreriam pelo caminho.
    Adoro ver o vaivém das ondas do mar. Da uma paz indescritível.
    A sua poesia é linda!
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  10. Caro Ricardo, belo soneto vindo de além-mar. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  11. Adoro o mar, adorei tua bela poesia! abraços,chica

    ResponderEliminar
  12. Lindo,Ricardo. Amei o "chegam em choros de cansaço"! Figura de linguagem e métrica magistral.

    Obrigada pela visita e volte sempre.

    Beijos sabor carinho

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderEliminar
  13. Olá!!! :)

    Tens Facebook e gostavas de dar a conhecer o teu blogue a mais escritores? Conhecer outros espaços?

    Então, adere:

    https://www.facebook.com/groups/126383254703861/

    Beijinhos, Diana.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns pelo soneto Ricardo,como sempre com muita sensibilidade.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  15. Olá Ricardo
    Lindo poema e a paisagem está radiante. Abraços.

    ResponderEliminar
  16. Olá, Ricardo!

    Grata, muito grata pela visita e comentário tão erudito e sensual, que deixou no meu blogue.
    Lamento não saber responder-lhe, pois não sei fazer sonetos.

    Este seu soneto é dedicado ao mar, mas tem nas entrelinhas algumas alegações a objetos e até pessoas, que passam despercebidas. É preciso arte para fazer-se este tipo de operação escrita, mas o Ricardo possui-a.

    Gostei muito da expressão "ondas trinadas", pke ela faz-me lembrar, de imediato, a guitarra portuguesa, o fado, o destino e a nossa eterna "fatalidade", que, na prática existe, mas não tão exageradamente, mas, efetivamente, nós somos assim, saudosistas e gostamos de fechar os olhos, à média luz.

    As aves voando, dão-nos ideia de liberdade, de determinação, e as gotas no areal curando as suas feridas internas, revelam que o amor pode existir até nas coisas mais pequenas.

    Um abraço e dias felizes.

    ResponderEliminar
  17. Os Bons Poetas aplaudem-se de pé!

    Abraço

    ResponderEliminar
  18. Que coisa mais linda. De derreter um coração.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Fabuloso e poderoso poema!
    És um poeta com uma inspiração ímpar e que muito admiro!

    Beijinho grande e continuação de excelentes inspirações

    ResponderEliminar
  20. Gostei de ler. Não sou muito boa a comentar poesia, desculpe, mas a poesia é algo muito especial. E como se fosse um sentimento. Sente-se. Mas têm-se dificuldade em descrevê-lo.
    Um abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar