domingo, 23 de novembro de 2014

Flor que gerou flor.

... * ...

Andando pelos campos do delírio, encontrei
Uma flor que maravilhosa para mim olhava
Peguei nela com carinho e para casa a levei
Pareceu-me ouvi-la segredar que me amava

Suas folhas floriram e meu amor perfumou
Cada manhã a via sorrindo, e fresca crescer
Entre regas de amor deu fruto, desabrochou
E do seu meigo ventre outra flor fez nascer

Lindo rebento que do seu germinar, surgiu
Peguei-a nos braços,vendo que bela, sorriu
Pétala de ternura, de uma beleza sem igual

Encanto desabrochado em vergel de rareza
Já seguiu seu caminho entre fios de beleza
Essa flor que nasceu em jardim de verdade
............................

15 comentários:

  1. Um poema perfumado, encantador, amoroso,e muito bem construído ou não fosses tu, o Ricardo!
    Não vale a pena muitas mais palavras para te dizer que és um poeta de elevado valor, e por muito que escreva, é sempre pouco, diante do que mereces. Por isso...PARABÉNS

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Que homenagem tão linda que aqui é feita à mulher no geral e à esposa e filha no particular.
    AMEI
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Como é belo e sensível o teu coração que faz arrepiar a sensibilidade de uma mulher quando escreves poemas tão lindos como o presente
    Beijinho e abraço apertado

    ResponderEliminar
  4. Andando pelos campos do delírio, encontrei
    Uma flor que maravilhosa para mim olhava
    Peguei nela com carinho e para casa a levei
    Pareceu-me ouvi-la segredar que me amava
    ...
    FIQUEI EMOCIONADA
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Quando um Homem mostra a sua sensibilidade através das palavras, na sua vida quotidiana de certeza que é assim, sensível e doce também... então não há muito mais acrescentar. Apenas parabéns por homenagear esposa e filha... lindo lindo.

    Também tenho de lhe agradecer por me permitir lê-lo, acalmando assim a saudade que tenho do meu amor que se encontra fora.. inspiro-me na sua poesia, e assim ganho força para ultrapassar a saudade. Peço desculpa pelo desabafo.

    Muitos parabéns
    Beijo de admiração e respeito.

    ResponderEliminar
  6. Uma linda inspiração poeta... bjuss doces

    ResponderEliminar
  7. Que inspiração sublime e maravilhosa homenagem à maternidade...cada verso, cada palavra emociona profundamente tal é a beleza sentimental...Amei Ricardo...parabéns pela genialidade poética e pela mente sensível e mágica que partilhas neste cantinho com os amigos...um grande beijinho e um final de semana feliz

    ResponderEliminar
  8. Um dos poemas mais belos que já escreveste.
    Quando um filho, neste caso filha, nasce num jardim de verdade é porque de amor se trata.
    Parabéns, Ricardo. Um soneto belíssimo.
    xx

    ResponderEliminar
  9. Lembro-me um clássico sambra de um cantor/compositor/lavador de carro, Cartola: "Queixo-me as rosas, mas que bobagem as rosas não falam, simplesmente as rosas exalam o perfume que roubam de ti". Chamou-me também a atenção a construção do poema, hábil sonetista, artesão das palavras, um quadrado perfeito! Nunca tinha visto nada igual!

    ResponderEliminar
  10. Que excelso poema!

    ResponderEliminar
  11. É preciso fé para que uma flor possa florir dos nossos cuidados.
    Linda poesia!

    ResponderEliminar
  12. As flores sempre falam amigo Ricardo.
    Palavras bem reflexivas.
    Lindo.
    Bjs e um ótimo inicio de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  13. Como sempre, o Senhor nos surpreende, um poema lindo de mais.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Olá Ricardo, desculpe-me pela ausência, mas estou com um pequeno problema de saúde , o qual me faz ficar quase sem poder fazer muita coisa. Seu soneto lindíssimo, que nos mostra o amor desabrochando em outro ser ....simplesmente maravilhoso. Beijos!

    ResponderEliminar