quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Eras o elo da minha felicidade...

.
Quando penso nos tempos de outrora
Em que eras feliz e sorrias a meu lado
Tudo era tão diferente do que é agora
Hoje tudo parece um sonho esgotado

Dizias que existia amor só com o olhar
Caricias aclamadas de amor fraterno
Tudo terminou como vento ao passar
Esquecendo-se aquele amor tão terno

Passeávamos por entre campos e trigais
Ouvindo os grilos e o canto dos pardais
De mão dada e olhares de cumplicidade

Hoje olho o vago sem saber entender
A razão do teu amor e carinho, perder
Quando eras o elo da minha felicidade
.

11 comentários:

  1. É tristes quando elos que nos trazem felicidades se rompem.
    abraço

    ResponderEliminar
  2. Oi amigo Ricardo,quando os elos se rompem fica difícil de juntá-los
    novamente.
    Linda poesia.
    bjs
    Carmen Lúcia-mamymilu

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde Ricardo

    Fica muito difícil aqui entrar
    E apenas ouvir e ver
    Mas com gosto vou comentar
    Um Poema digno de se ler

    O parabéns eu te vou dar
    Pela soberba inspiração
    Que nos deixa a olhar
    Para dentro do coração.


    Deixo um beijo!

    ResponderEliminar
  4. É o desgaste de um amor que não fora cuidado e se consumiu na própria chama. Secou como os solos áridos, sem um pingo de chuva benfazeja, enfim, morreu de inanição.

    ResponderEliminar
  5. Restou a saudade... palavra triste, quando se perde um grande amor.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. O que parece esgotado às vezes só precisa de um renascimento, como Fénix que renasce das suas próprias cinzas. Os trigais talvez não sejam tão abundantes como outrora, mas ainda se ouvem muitos grilos e pardais,
    Tristonho mas muito bonito.
    xx

    ResponderEliminar
  7. belas quadras rimadas de agora!
    Como as antes destas teriam sido
    As que foram escritas noutrora
    O poeta vive com elas no sentido!

    Nem antes nem agora!
    Por que não as esqueceu
    Tem talento de sobra
    O poetas que as escreveu.

    Obrigado pela visita,
    boa noite para você amigo Ricardo, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  8. Infelizmente acontece, mas ficam as boas recordações. Lindo soneto poeta, bju.

    ResponderEliminar
  9. Amigo Ricardo
    Um belo poema de amor e saudade!
    Recordando o passado, por vezes sentimos magoa!
    Parabens pelo seu lindo poema.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  10. Oi Ricardo, que linda poesia, linda e delicada cheia de amor.
    Saudades daqui. bjsss

    ResponderEliminar
  11. Tristes versos na poesia linda! abraços e lindo dia por aí! chica

    ResponderEliminar