terça-feira, 6 de setembro de 2011


Para quê sofrer por amor, por alguém

Mesmo sendo forte o sentimento

Quando o rancor, feito desdém

É o mesmo que abraçar o vento


Somos na vida um pedaço de tormento

Devaneamos com o prazer de um beijo

Tendo na alma, o mesmo pensamento

Fidalga ilusão sentida do meu desejo


E quando a ilusão da mente se desfaz

Um novo alento em nós se apraz

E sonha numa fé antes perdida


Como se da noite não se seguisse o dia

E ao coração dizer-lhe que não podia

Amar-te se já nem em mim, existe vida

3 comentários:

  1. Teu poema está muito profundo, lindo...
    "Como se da noite não se seguisse o dia
    E ao coração dizer-lhe que não podia
    Amar-te se já nem em mim, existe vida".
    Parabéns, tenha uma semana abençoada e feliz!
    Rosana

    ResponderEliminar
  2. Saudades de te ler,,,
    Uma semana abençoada e feliz!
    Rosana

    ResponderEliminar
  3. Boas!

    Devo dizer que gosto imenso deste blogue!

    Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p

    http://davidjosepereira.blogspot.com/

    Saudosos cumprimentos!

    ResponderEliminar