sexta-feira, 23 de março de 2018

Sombra de amor, que te refresca.



Gostava de ser a sombra que te refresca
Da canícula integrante dos raios de sol
Ser a tua chama vulcânica, o teu suor
Ser a ruela em que teus passos passeiam
Dançando a música salteada em solfejo
.
Ser a orla da margem, a voz satânica
O mar, o barco, a vida, a voz que atesta
Onde as palavras que não sei dizer
Fossem odes de amor que queria ser
Em multicores desse amor que desejo
.
Ser o forte grito de impulsão extenuante
Em frases sentidas e versos de loucura
Ser o rio seco, a primavera anunciada
Ser o teu imaginário em sonhos de nada
A fresca ironia, a sílaba sensual, emoção
.
Ser a viela do sorriso, a palavra singular
A árvore sem nome, o silêncio, a ilusão
A erubescência intrínseca da suavidade
A poesia que te lava o corpo, o perfume
Que te queimasse como queima o lume
Ser a água que refrescasse o teu coração
.

5 comentários:

  1. Boa tarde. Como sempre, já nos habituou a poemas de um nível superior...Adorei :))

    Hoje:- Endiabrados, desejos que me atormentam

    Bjos
    Votos de uma boa Sexta-Feira

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, Ricardo!!
    Um meu enorme aplauso ao teu soberbo poema!! AMEI

    Beijos-Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  3. Gostava não de ser mas de ter ... a capacidade de bem poetizar!bj e gosto de ler

    ResponderEliminar
  4. Que maravilhosa declaração de amor.
    Belíssimo poema
    Bom fim de semana
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  5. Bom dia. Excelente poema como o Poeta já habituou os seus leitores. Parabéns. Adorei.
    Royal1688
    Gclub

    ResponderEliminar