quarta-feira, 28 de março de 2018

Por ti, caminho pelo infinito desnudado


Visto esta roupa sem cor no delírio desnudado
Dorido e acorrentado a tudo o que me foi dito
Tornei-me dos sentimentos, um audaz escravo
Que pelo teu amor, caminha feito um proscrito
.
Religioso na ambição de um dia ser abençoado
Do teu sorriso, me confesso, habitar no infinito
Em que o teu amor esteja ao meu corpo colado
Cobrindo minha nudez com vestes de requisito
.
Tudo o que os meus pensamentos me oferecem
São efervescências que minha mente, aquecem
Laivos de vivência que tanto me têm castigado
.
Sabes tu meu amor as cores que estou vestindo
Roupas coloridas que me falam de ti, mentindo
E assim vou caminhar pelo infinito desnudado
.

6 comentários:

  1. Bom dia, Ricardo!
    Um poema lindo, sensual...Esplendoroso. AMEI!!

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Grande poema
    Abraço
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. SENSACIONAL!
    Que dizer mais? Que és quase perfeito (porque a perfeição não existe)!

    Beijinho grande

    ResponderEliminar