segunda-feira, 5 de março de 2018

Luar e o amor ... Incoerência em harmonia perfeita.


São tantos meu amor, são tantos os perigos
Sonhos de luz, ruas, vielas, dores, castigos
Quando o amor acontece, em sorriso louco
Subimos ao Céu em arrepio, aurora ferida
Descemos à Terra, em carência esquecida
De tantos nadas, somos sempre um pouco
.
Seja a noite, companheira do meu improviso
Desvario dos sentimentos, perdível prejuízo
Em que a vida me condena em verdade crua
Que a dor da vivência seja a dor, sentimento
Que nunca seja a separação, infiel tormento
De te ver distante e amar-te como amo a lua
.
És a mulher que enche meu coração de luz
A composição poética que meu ego conduz
Por seres serena inspiração, voz imperfeita
São tantos os inversos, em dura inspiração
Versos enlaçados, poema do meu coração
Destinos incoerentes de harmonia perfeita

7 comentários:

  1. Boa tarde, Ricardo!
    Hoje, faltam-me as palavras para elogiar tão poderoso poema! AMEI!

    Beijo e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  2. um poema cheio de ternura e amor à sua musa!
    inspiração em alta!
    boa semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Poeta. Adorei o seu poema. Escreve como ninguém.Muitos parabéns. :))

    Hoje: - {Poetizando e encantando} ...Promessas
    .
    Bjos
    Votos de uma feliz Terça-Feira.

    ResponderEliminar
  4. O amor está acima de tudo,apesar da incoerência,a junção dele com a Lua faz um par magnífico.
    Gostei muito Ricardo.
    Bjs e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  5. Caro Ricardo, eis um poema arrebatador! E a música de fundo, então, perfeita! Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar