quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Suados lençóis, uma rosa vermelha de ternura

...
.
Amanhecer num sorriso de afecto que mostra
Lençóis rendilhados, versos em rara escultura
Deleite de amor e sem palavras, que importa
Se do olhar saem carinhos de amor e ternura

O sol nasce entrando pelas frinchas da janela
Acordando o prazido gozo do delírio presente
Onde o desejo ocorreu dentro do sentido dela
No brilho dourado de um sorriso permanente

Lençóis de cambraia, atestam um cálido beijo
Em som suave trocado na essência do desejo
Onde o âmago autoriza juras ocas de loucura

Unem-se dois corpos num desejo incontrolado
Olvidam-se carências, ventos frios do passado
Suados lençóis, uma rosa vermelha de ternura
................

19 comentários:

  1. Amigo Ricardo
    Mais um belo soneto,eivado de sensualidade!
    Palavras suaves,lindas, a fazerem adivinhar uma noite inesquecível!
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  2. Nunca li nada tão bonito. Um poema carregado de sentimento"saudade" e muita paixão, quiçá num encontro de carências, recordando amarguras talvez passadas.
    Mas o que é isso quando se vive o momento? já nada mais "existe"...Tão bom quando entro aqui para ler, e saio com o coração repleto de alegria, por estar perante tão bela poesia, e de um enorme Poeta.
    Muitos Parabéns.... É o mais lindo que já aqui li.

    Deixo-lhe um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Ricardo
    Sensualidade e ternura em seus versos =)

    ResponderEliminar
  4. Maravilhoso amigo Ricardo,não há o que dizer de seus lindos versos.
    bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  5. A 1.ª estrofe é o balanço primaveril para um poema amoroso onde s sensualidade está presente com uma lisura de palavras encantadoras. Quem assim escreve é um poeta brilhante.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Todos os poemas insertos neste blogue são de uma beleza encantadora mas este é fantástico, fazendo a imaginação fluir por entre lençóis suados e beijos de paixão.
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Que maravilhoso acordar! Que sensualidade e ternura dominantes nesse poema...os raios de sol entrando sorrateiramente...lençóis testemunhando loucos momentos...amei Ricardo...fabuloso poema enaltecendo a paixão e o amor tão profundamente como tu tão bem sabes...um abraço e uma feliz quinta feira

    ResponderEliminar
  8. um soneto bem construído e cheio de sensualidade...

    :)

    ResponderEliminar
  9. Quando dois corpos se unem,vira poesia! Linda! abraços,chica

    ResponderEliminar
  10. Manuela Pimenta ( Marisol)16 de outubro de 2014 às 15:42

    Dois corpos unidos pelo amor qual rosa vermelha de paixão origina belos versos de trernura num poema sublime.
    Abraço poeta Ricardo, o maior e mais belo poeta que me cumpre admirar.

    ResponderEliminar
  11. Um soneto sutilmente sensual, amei. Doces bjusss poeta.

    ResponderEliminar
  12. Olá Ricardo, vim agradecer a gentil visita e cometário que deixaste no blog; aproveito para dizer-te que gostei muito deste teu soneto, achei soberbo, outra coisa é que, se quiseres, terei satisfação em divulgar o teu livro - basta dizer-me!
    Abraço, bom resto de semana e apareças...

    ResponderEliminar
  13. Ternura nos versos e desejos incontidos nas palavras que compõem tão belas rimas.
    Bonito de mais
    Abraço

    ResponderEliminar
  14. Poesia maravilhosa...passei por acaso mas já fiquei por aqui!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  15. Uma inspiração Divina, onde o Amor parece querer falar mais alto!
    AMEI

    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Paixão ao rubro!

    Juliana Oliveira

    ResponderEliminar
  17. Que dizer quando se lê um poema repleto de sentimento, ternura e amor? Apenas ÚNICO.
    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Gosto dos poemas que falam de amor forte ,livre de amarras.
    Bonito Ricardo
    deixo um abraço

    ResponderEliminar