terça-feira, 26 de agosto de 2014

Pólen de pura flor...

( Imagem da net...)
........................
Amo-te no infinito, sem tempo
No tempo que gere minha vida
Amor desumano, qual tormento
Robusto querer, vontade sentida

Amo-te na essência da loucura
Paixão delida em fantasia e amor
Fina dedicação em doce ternura
Afecto em mim, pólen de pura flor

Amo-te mélico amor, insuspeitado
Vivido na incerteza da emoção
Que num gesto tímido e calado
Te oferece o amor do meu coração
..........
.

15 comentários:

  1. Louca paixão...amor desmedido...emoções fortes e sentidas neste poema..bela inspiração Ricardo...

    ResponderEliminar
  2. Amor de loucura que faz vibrar o coração de uma mulher. Nunca o cale e mesmo timido deve falar desse amor à sua amada
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Um suspiro saído do coração de uma alma apaixonada. Felizarda da Amada.
    Amei!

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Estou sem palavras ao ler mais um poema de amor tão lindo
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. ARREPIANTE QUE ALEGRA O CORAÇÃO, CONTINUE QUE OS SEUS POEMAS SÃO BRILHANTES
    ABRAÇO

    ResponderEliminar
  6. Que delicia, ler uma coisas destas ao final do dia, é como se um novo sol me nascesse. Lindo lindo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Rosaria Marques Marques26 de agosto de 2014 às 18:03

    Bonito poema. Há sempre,
    uma paixão escondida
    ou um amor clandestino
    pedindo legalidade.
    Uma passagem secreta
    em algum lugar
    que desconhecido,
    fica difícil acessar.
    Erotildes Vittoria....Um bj.

    ResponderEliminar
  8. Dói demais amar e não poder gritar ao mundo esse amor... lindo demais. Bj

    ResponderEliminar
  9. Simplesmente soberbo, lindo demais...junta mais este ao lote dos teus melhores.

    Beijo

    ResponderEliminar
  10. Oi Ricardo,
    Obrigado pelos cumprimentos pelo meu aniversário e também ao linda.kkk. Fuiiiiiiiii
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  11. Sempre um prazer ler seus poemas de amor, o amor é o que move nossas almas, lindos versos!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  12. Como cantou o grande fadista Carlos Ramos: "O amor é louco, não façam pouco desta loucura..." O amor é bonito com uma pitada de loucura.
    Escreves poemas extraordinários, Ricardo!
    xx

    ResponderEliminar
  13. Um amor desmedido como só ele sabe ser.

    Quase demência, quase...

    Beijo

    ResponderEliminar
  14. Muito gentil o se poema!
    saudações poéticas!

    ResponderEliminar
  15. A insustentável leveza do amor!

    Que maravilha de poema!

    ResponderEliminar