quarta-feira, 11 de junho de 2014

Havia um Porto de abrigo...

.../...
.
Havia um porto de abrigo
Um sinal no futuro do pensamento
Que a vista alcançava no sentido
Na fresca flor do deslumbramento

Havia um mar de ilusões e cristais
Onde as naus faziam a atracagem
Umas, outras, tantas, originais
Sem cansaço da longa viagem

Havia a lua que a água iluminava
Sol que do prazer era amigo
Hoje já não existe nada
Onde havia esse porto de abrigo
.

13 comentários:

  1. Poema lindo, lindo,embora com uma pitada de tristeza...Mas são estes os mais belos!!

    Esse porto de abrigo voltará! É só preciso deixar passar a tempestade de um mar revolto!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Lourdes Piedade Patacas11 de junho de 2014 às 21:23

    Há sempre um porto de abrigo, como há sempre um amanhã e um SOL que
    ilumina para quem tem esperança e querer . Gostei do poema

    ResponderEliminar
  3. Olá meu poeta falar o que desse poema tão bonito
    gostei do final

    Havia a lua que a água iluminava

    Sol que do prazer era amigo

    Hoje já não existe nada

    Onde havia esse porto de abrigo

    Abraços de sempre
    Rita!!!

    ResponderEliminar
  4. Essa certeza de um porto assim é maravilhosa! abraços,chica

    ResponderEliminar
  5. Oi Ricardo
    Uma linda poesia nostálgica
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  6. Há sempre um "PORTO de abrigo" ...

    a quem saiba escrever, esperar, acalentar, falar e aceitar!...

    Graças por te encontrar!

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  7. Concordo com a leitora acima: ha sempre Um porto de abrigo, mesmo que nao seja no mesmo lugar.

    Belissima tua obra!

    ResponderEliminar
  8. Excelente poema... Esperamos que esse porto de abrigo volte e as águas continuem a brilhar com a lua...E, que o SOL te volte a dar prazer.

    Há sempre um amanhã melhor que o ontem.

    Beijo

    ResponderEliminar
  9. lindissimo.
    o meu porto tb se foi...

    ResponderEliminar
  10. Bom dia Ricardo.
    Há sempre um porto e um abrigo para cada hum de nós.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  11. Amigo Ricardo
    Mudam-se os tempos...
    Mas a sua arte de poetar nunca muda.Parabéns.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  12. LINDO QUE PENA NÃO PUBLIQUE ,ADOREI ,LAURINDA.

    ResponderEliminar