terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Quando a espuma fica presa na margem.

( Imagem da net)
.

Quando a espuma fica presa na margem
Na solidão da ventania gelada e agreste
Soam zunidos de amor da tua passagem
Que no meu coração por afecto viveste

Pranto triste e rebelde cai do meu olhar
Solicitando memórias de nosso passado
Espuma presa no meu coração a chorar
Lágrimas soltas por tanto te ter amado

Afogo tristezas, em águas frias, tão raras
Nas forças abandonadas e que superaras
Em beijo quente vindo na fresca aragem

Geram na alma anseios puros e perfeitos
E todos os sonhos perdem os seus efeitos
Quando a espuma fica presa na margem
.

20 comentários:

  1. Mais um poema maravilhoso a mostrar a alma bondosa e generosa do poeta
    Lindo mesmo
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Belo soneto, Ricardo!
    Muito bonito viver um amor com muito coração e muito afecto, vivência que ressurge como eco da memória numa ventania fria. Recordações feitas de muito amor que o tempo jamais apagará.
    xx

    ResponderEliminar
  3. Oi Ricardo,
    Sua poesia hoje está meio triste
    Que baque...
    Deixei um comentário no seu outro blog
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  4. SIMPLESMENTE SOBERBO!!...............PARABÉNS!


    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Olá, Ricardo!

    Sinto este soneto, como consequência, talvez indireta, do desaparecimento de Eusébio, que era doçura e amor.

    Afogam-se tristezas em beijos frescos, que dão sentido à nossa vida, porque é preciso continuar a amar.

    Dias felizes.

    Abraço, com amizade.

    ResponderEliminar
  6. Quando a espuma fica presa na margem.
    Sempre que essa situação aconteça
    É preciso ter perícia e alguma libertinagem
    Para que essa espuma sobre a água desapareça!

    Mesmo que seja forte a ventania,
    Muita calma e serenidade
    Seja qual for o grau de rebeldia
    Nunca se deixar fugir a felicidade!

    Obrigado pela sua visita,
    É fantástica a sua poesia rimada
    Tenha uma noite de muita alegria
    E uma vida sempre muito animada!

    Um abraço
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  7. Um tanto triste mas envolta de sentimentos que toca a sensibilidade de quem lê.

    Sempre gosto!

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. La fuerza del amor siempre se conserva en el alma.
    Un beso Ricardo

    ResponderEliminar
  9. Muito bonito, sim!

    E a música, que continua a mesma, é linda...

    Seja feliz, sim?

    ResponderEliminar
  10. Simplesmente lindo,como de costume aqui! abração,chica

    ResponderEliminar
  11. Maravilha,Ricardo!

    Curvo_me ante teu poetar maravilhoso!

    Sabes falar de amor como ninguém.

    Obrigada pela visita.

    Beijos

    Donetzka

    Face Book:


    https://www.facebook.com/donetzka.cercck




    Blog Magia de Donetzka


    ResponderEliminar
  12. Lindíssimo!!!

    Mas o mar da solidão é triste e solitário =)

    ResponderEliminar
  13. Olá Ricardo
    Passando para te desejar uma tarde abençoada. Poema muito reflexivo. Bjs querido.

    ResponderEliminar
  14. Maravilhoso! Mas concordo com a Bell.
    Belo mais triste!! O mar a solidão...Espuma presa no meu coração a chorar.
    Boa noite,beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. O mar dos sentimentos é vasto... é preciso se desprender das espumas tristes e seguir...

    Beijos...

    ResponderEliminar
  16. Olá, tudo bem?
    Represento o Portal Teia e gostaria de lhe fazer um convite:
    Acabamos de colocar no ar o mais novo agregador de links da internet, mas não como os muitos que existem por ai que priorizam o humor e besteirol, nossa meta é divulgar postagens de qualidade , assim como as suas e seria um prazer poder indicar seus posts aos nossos leitores.
    Se interessar basta acessar e começar a enviar seus links, simples e grátis.
    Espero sua presença.
    Desejamos uma ótima semana pra você e seus leitores.
    Até mais

    ResponderEliminar
  17. Amigo Ricardo
    Lindo soneto de amor,com uma chave que acaba como começara!
    Muitos parabéns.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar