quarta-feira, 19 de setembro de 2012

BEIJO



Abarrota a minha alma, em encanto mago
O estrépito da fragrância de lindas rosas
No meu coração triste as plangências apago
Se no teu ego não existirem mágoas dolorosas

Anelo por  virtudes da tua essência de flor
Que me pronunciem em vozes sossegadas
Palavras libidinosas de encanto e amor
Que perturbem ideias antes selecionadas

E neste afogueio que a minha alma invade
Desnudo a minha vontade de te saber  amar
Mesmo que sofra desprazer  devorador e cruel

Pelo desejo de abraçar o teu corpo de flor
Em  momento inebriado pelo afeto e amor
Lábios a saber a fruto, "salgadinhos" a mel

*

3 comentários: