segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Nós, a Floresta, e os silêncios





Caminhamos sós pela silenciosa floresta
Arvoredo, matagais, ervas simples, giesta
Inalando o perfume da noite aromatizada
Tu a meu lado, carinhosa, olhar tranquilo
Ouve-se o cantar da coruja, do feliz grilo
Sente-se o amor no silêncio da caminhada
.
Olho os teus olhos azuis, mostram fadiga
Teus lábios que beijo em doçura atrevida
Perante o olhar do morcego que esvoaça
Felizes, mãos dadas, dedos entrelaçados
Vozes em silêncio, apetites apaixonados
Corpos unidos, alheios à noite que passa
.
Olhamos o brilho da lua, radiosa lá no alto
Onde os céus da vida, são ruelas de asfalto
Por onde trilhamos, corações em frenesim
Tudo obedece a uma noite de afecto e paz
Sem palavras dizemos que o amor é capaz
De nos embriagar para uma vida sem fim
.

6 comentários:


  1. Olá:- Poema de uma doçura maravilhosa.
    .
    POEMA ** Fremente Loucura **
    .
    Desejando uma semana feliz

    ResponderEliminar
  2. Mais uma vez me surpreendente com mais um poderoso poema!! Amei!


    Beijo e um excelente dia

    ResponderEliminar
  3. Até eu me senti a passear na floresta, a ouvir os pássaros, a colher os aromas e as sensações… Muito belo, o seu poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Um poema maravilhoso.
    .
    Deixando um abraço

    ResponderEliminar
  5. Que dizer???? Todas as palavras seriam poucas!!

    Brilhante com um toque de magia! Adorei!

    Abraço

    ResponderEliminar