segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Lágrimas de terror correm pelas vertentes dos sentidos

.. imagem da net ....
........................
Lágrimas de terror correm pelas vertentes dos sentidos
Gotas que emergem às margens da ilimitada sabedoria
Mostram ao mundo as dores de tantos olhos ofendidos
Pela maldade que mata inocentes em infinita cobardia

Gotas de impotência perante a fraqueza da crueldade
Que surgem do além em sons por divisas tão egoístas
Chorando os tombados que morreram na tenra idade
Por na áurea da vida serem impotentes aos terroristas

Indiferentes às lágrimas de sofrimento, derramadas
Pisam as almas, pelos tiros das suas armas, ceifadas
Vidas por viver que tombaram perante a barbaridade

Sons de morte abafados pelas suplicas da inocência
Todo o mundo derrama pingos cruéis de impotência
Perante a presença de corações repletos de maldade
.................................................................................
A minha humilde homenagem ao terror vivido pelo povo francês
no último dia 13 de Novembro de 2015.

10 comentários:

  1. O meu aplauso para este poema magnifico.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. ...Só um coração sensível tem a capacidade de escrever assim!!!!...Muitos parabéns.
    Beijuss

    ResponderEliminar
  3. Um soneto que me arrepiou, ao ler...Só mesmo tu, para escrever desta forma, tão sensível... Que mais te posso dizer? Apenas dar os parabéns por este soberbo soneto, em forma de homenagem e bem merecida.
    Merecia ser premiado.
    AMEI DE VERDADE!

    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Perfeitamente emocionante!
    Parabéns Poeta, Ricardo.

    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Um soneto muito sentido, e escrito sobre a grande dor humana das mais injustas mortes. Um atentado aos valores humanos, e à alegria. Todos sofremos com tais actos, mas nem quero imaginar o horror que passaram, e o perpétuo sofrimento dos seus familiares e amigos.
    Excelente, Ricardo! Ou "Brilhante", como queiras.
    xx

    ResponderEliminar
  6. "Lágrimas de terror correm pelas vertentes dos sentidos". É verdade. Um soneto muito sentido e uma excelente homenagem.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Fiquei sem palavras! A tragédia poetizada com tanta emoção e sensibilidade arrepiou-me! Todo o mundo está de luto mas o terrorismo não vencerá! Adorei o poema Ricardo e louvo-te de pé por toda a sensibilidade e homenagem prestada. Um abraço

    ResponderEliminar