domingo, 22 de novembro de 2015

Chega a noite, meu sonho, é a tua imagem

........................................
Chega a noite, meu sonho, é a tua imagem
Despida de preconceito e timidez ausente
Vou contigo, caminhando em livre viagem
Sentindo teus beijos que recebo docemente

Sinto-te vibrar na meia-luz do entardecer
Quando nossos corpos se tocam e amam
Ouço teus ais cheios de carinho e prazer
Quando teus desejos de amor, me chamam

Percorro teu corpo onde é doce a suavidade
Onde minhas mãos se perdem no caminho
E em cada beijo sinto um amor de verdade
Que me dedicas com tanto ardor e carinho
..............................

12 comentários:

  1. Simplesmente lindo! Amei, Desejo a vc um dia abençoado

    ResponderEliminar
  2. Oi Ricardo,
    É uma viagem cheia de prazer. Perde-a quem não tem juizo.kkk
    Beijo no coração
    Minicontista2

    ResponderEliminar
  3. Quando chega a noite, é quando pensamos e reflectimos...Os GRANDES POETAS, escrevem em qualquer situação e lugar,
    Parabéns pelo excelente poema. Amei.

    Beijo e um excelente Domingo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Que bonito...Deixei-me vaguear pelo seu fantástico poema, e senti as palavras entrarem no meu coração. Amei!!
    Grande Poeta que é vc. (:

    Um excelente Domingo de paz.
    Hoje o poeta é o Gil António...Conto com a sua visita.
    Obrigada- Beijinhos---->http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Poesia maravilhosa. Dá gosto visitar e ler poesia assim.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. Um belo poema repleto de atenção, carinho e desejo.
    Que bom quando num beijo se sente toda a verdade de um amor!
    Boa, Ricardo! :-)
    xx

    ResponderEliminar
  7. Fabuloso!!!! Poema soberbamente escrito, com emoções e palavras perfeitas!!!! Tanta ternura e sensualidade que emana e nos enleva nesta aura de doçura. Adorei!!! Como sempre derretes com a tua alma poética!!! Um abraço e noite feliz

    ResponderEliminar
  8. Bom dia, Ricardo, lindos versos!
    A ternura transborda nas letras, cai por entre as linhas.

    ResponderEliminar