sábado, 3 de outubro de 2015

Soltam-se sentimentos no silêncio do luar

..........................................
Soltam-se sentimentos no silêncio do luar
Entre dois corpos que se unem, abraçados
Chispas de meiguice iluminam cada olhar
Beijos de amor entre lábios apaixonados

É o luar de sinceras promessas, atestador
Escuta sorrindo doces palavras de desejo
Fornece seu brilho a duas almas de amor
Ouve feliz o estrépito de um mélico beijo

Mãos unificadas em sentimento de ternura
Suor de timidez, gotas em olhar de doçura
Fundidos ósculos gravados na ansiedade

Sons de silêncio, quando o amor acontece
Corpos unidos que o luar, de amor aquece
Brilho de vida inserto em terna felicidade
..........................

9 comentários:

  1. Muito linda,Ricardo! abraços, ótimo fds!chica

    ResponderEliminar
  2. Um Poeta de mão cheia!
    Parabéns pelo BRILHANTE poema.

    Bjos...Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  3. Oi Ricardo,um pequeno fragmento desse seu lindo poetar.

    "Mãos unificadas em sentimento de ternura
    Suor de timidez, gotas em olhar de doçura
    Fundidos ósculos gravados na ansiedade"
    Muito lindo.
    Bjs e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  4. Quem resiste à imensidão de ternura e amor dominante neste soberbo poema? Estou maravilhada! Uma magia e um toque sentimental de alto nível tornam este poema um dos mais extraordinários que já li. Parabéns Ricardo pelo teu fantástico poder poético que retiras do fundo da tua alma. Um abraço e feliz domingo

    ResponderEliminar
  5. Que dizer quando pareces tão sossegadinho, ausente de tudo, e apareces de repente e lanças a bomba, ou seja, trazes-nos um poema tão poderoso que nos deixas de queixo caído, com tamanha riqueza poética. Não tenho mais nada a acrescentar...Escreveste um poema que vai certamente fazer dos melhores!
    PARABÉNS

    ResponderEliminar
  6. Amigo Ricardo
    Um belo soneto que descreve momentos únicos, ternos e apixonados! Que bonito!
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  7. Olá, Ricardo!

    Seja bem-vindo ao meu blogue!

    Agradeço a sua visita e aquelas poucas palavras, que me disseram muito.
    Eu sou a mesma, exatamente, sem tirar, nem pôr.

    O seu excelente soneto está escrito no masculino, como é natural, as regras estão todas cumpridas, e o amor, aquele namoro, alastra, quer concretizar-se e o epílogo acontece. Era o que poeta, k é homem quer. Naturalíssimo!
    Qto mais escrevemos, melhor escrevemos, esta é a minha opinião, e o Ricardo está a escrever com maior base de sustentabilidade. Falo com conhecimento de causa, e não por uma questão de elogiar ou deixar de elogiar, até pke eu sou pouco, ou melhor, não sou nada de "embandeirar em arco" por pouco e não digo: "lindo, divino, amei!", caso não goste. Dou, polidamente, a "volta por cima", pke molestar não faz o meu género, embora reconheça k há pessoas a escreverem mto bem, e outras menos bem.

    Bom resto de domingo.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  8. A sua poesia deixa-me totalmente rendida... Leio baixinho ao mesmo tempo que ouço esta divina musica e, faz o quadro perfeito!
    Nunca li ninguém assim como você.
    Parabéns

    Beijo e continuação de um feliz Domingo.

    ResponderEliminar
  9. Um amor aquecido e iluminado pela luz do luar.
    Muito belo, Ricardo!
    xx

    ResponderEliminar