segunda-feira, 20 de abril de 2015

Tua boca arruamento do meu pensamento

( Imagem da net )
........
Tua boca arruamento do meu pensamento
Quando caminho pelas veredas do desejo
Minha boca honrosa censura do tormento
Quando nela cola a interdição do teu beijo

Vagueio sem sentido pelas ruas da certeza
Que me levam por encortelhadas estradas
Onde as estrelas brilham na sua grandeza
Deixando na noite esperanças e alvoradas

Saídas do infinito da escuridão descerrada
Nos alicerces de uma carícia entrecortada
Pelos domínios de falso carinho e delusão

Fazem correr lágrimas em olhos sentidos
Palavras de tristeza por destinos vencidos
Nos arruamentos do meu sincero coração
.....................

16 comentários:

  1. O Poeta escreveu...!!!
    E sinceramente sinto-me incapaz de comentar este poema.
    Pela sua sensibilidade e beleza poética, não consigo arranjar-te as palavras certas, perante aquilo que o poema merece.

    Apenas me apraz dizer: SOBERBO...PARABÉNS!

    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  2. Se uma notável poetiza como a amiga Cidália não consegue comentar...eu, uma simples admiradora tua, muito menos...este poema pela sua perfeição nunca teria as palavras ideais num comentário e todas seria insuficientes...ADOREI...o título prepara-nos para imponência do poema...um abraço e uma feliz semana




    ResponderEliminar
  3. Poema maravilhosamente belo, com uns salpicos de tristeza. Mas notável!

    Visite este novo blogue de quadras e pensamentos.
    Obrigada

    http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. um soneto bem construído, com palavras cheias de sentires e uma mescla de nostalgia...
    :)

    ResponderEliminar
  5. Frescura e arte no bem escrever. Gostei muito do poema
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Estradas do pensamento que trazem por vezes lembranças plenas de nostalgia.
    Lindo soneto.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  7. Essas estradas que chegam ao infinito à procura de alguém que ficou bem distante.
    Lindo Amigo Ricardo.
    bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  8. Lindo, amo sonetos, a construção dos versos e a linda inspiração do poeta!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  9. É a primeira vez que ouço chamar arruamento a uma boca...mas talvez poeticamente possas ter razão; a boca por onde se pode passear descontraidamente, "desembocando" depois em outras estradas e caminhos...;-))
    Inspiração perfeita, Ricardo! Belíssimo soneto.
    xx

    ResponderEliminar
  10. Maravilhoso visitar você e ler a sua poesia sempre tão profunda e cheia de carinho
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. É para mim uma honra poder entrar aqui e deixar-me vaguear pelos seus versos, que mesmo sendo tristes nos fazem sonhar. Obrigada.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Seus versos denunciam um coração sempre apaixonado...
    Amei!
    Ricardo, beijo!

    ResponderEliminar
  13. Versos repletos de sensibilidade e paixão!
    Gosto muito de te ler!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  14. Boca... adoro escrever sobre boca,
    quanto prazer e alegria ela pode
    proporcionar aos amantes apaixonados...
    Lindo de viver! Bjus

    ResponderEliminar