sexta-feira, 24 de abril de 2015

Olhei em meu interior onde a solidão acontece

................................
Olhei em meu interior onde a solidão acontece
Entre penumbras de uma inquietude moderada
Trilhos ocasionais nas veredas de quem merece
Uma mão cheia de tudo e outra cheia de nada

Procura de caminhos paralelos quando anoitece
E as estrelas se escondem nas trevas esquecidas
Quebram-se silêncios num sorriso que acontece
Ao recordar ternuras e fantasias contigo vividas

Abraço trocado em devaneio e sentido iluminado
Aflora na meditação no lento silêncio procurado
Perfume que aroma como uma folha de alecrim

Gera em meu peito o entrave de louca quimera
Esvaece a melancolia nas arestas da Primavera
Quando recordo o teu abraço e o sinto em mim
...........

23 comentários:

  1. Amigo Ricardo, nos contempla com mais um belo soneto. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo poema, que, permitiu que eu vagueasse pelas entrelinhas e senti-se o teu a perfume d'alecrim...
    E nessa mão cheia de tudo ou nada, consegui ver o tamanho do teu carinho, e da tua excelente veia poética...tal como, a ti, nunca será de mais dizer que és o melhor Poeta que já li .

    Excelentíssima inspiração...AMEI!!

    Bom fim de semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Passarei aqui outras vezes.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Lindo e intenso poema!!!
    Só os enormes escrevem assim-Parabéns!

    Beijinhos e feliz sexta feira- http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Maravilhoso poema fazendo do amor o sentimento mais belo da mensagem poética
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Ricardo,seus poemas são de uma alma que transborda amor e por esse motivo os seus 40 anos de casamento.
    Eu completo amanhã 45 anos e na minha modesta opinião quando um casamento dura essa eternidade,mesmo com algumas adversidades que possam haver é por ter muito amor mútuo.
    Obrigada amigo pelas palavras linda deixadas em meu blog.
    bjs- e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  7. Excelente poema em que o olhar para o interior gera encontros e desencontros de pensamento. Gostei demais
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Uma solidão imaginária, feita de belas recordações, já que todo o perfume dos sentimentos continua a aromatizar os vossos dias.
    Muito bonito!
    xx

    ResponderEliminar
  9. Oi Ricardo,
    O amor acontece para todos, o mendigo ama e sofre sabe lá o que.
    Sua poesia entra em todas as almas e corpos que se amam.
    Apesar de não merecê-las, suas palavras me encantaram.
    Ob;
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Eu fico fascinada com os seus poemas. Sempre a "roçar" no amor!!!!
    Amei
    Parabéns

    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Amei ler, o amor por si só já diz tudo, com versos assim muito bem inspirados nos levam ao mundo mágico do romantismo!
    Adoro ler poesias assim, deixo os meus parabéns por tão grande capacidade!
    Abraços bem apertados amigo poeta!

    ResponderEliminar
  12. Poesia maravilhosa que irradia o coração. Beijos bom final de semana

    ResponderEliminar
  13. Belíssimo seus poemas, Ricardo
    Fico encantada
    Abraços, Araan

    ResponderEliminar
  14. Agradecida pela visita. Um belo modo de recordar a pessoa amada. Abraço.

    ResponderEliminar
  15. Agradecida pela visita. Um belo modo de recordar a pessoa amada. Abraço.

    ResponderEliminar
  16. Oi divulguei o seu blog da uma passadinha lá para ver se gostou,
    sem solidão vamos sorri amei o poema, bom final de semana
    Canal: https://www.youtube.com/watch?v=3xZdo8xMv34
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  17. Não tenho mais nada para lhe dizer, depois de ter lido o seu Poema.
    Apenas: EXCELENTE!

    ResponderEliminar
  18. Boa tarde,
    Muito obrigada pela sua visita!
    Belíssimo soneto enaltecendo o amor!
    Bjs
    Ailime

    ResponderEliminar
  19. Belo escrito amigo Ricardo!
    Belíssimo!

    ''Olhei em meu interior onde a solidão acontece
    Entre penumbras de uma inquietude moderada
    Trilhos ocasionais nas veredas de quem merece
    Uma mão cheia de tudo e outra cheia de nada''


    Agradeço pelo carinho de tua visita!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  20. ''Olhei em meu interior onde a solidão acontece
    Entre penumbras de uma inquietude moderada
    Trilhos ocasionais nas veredas de quem merece
    Uma mão cheia de tudo e outra cheia de nada'' toda a poesia é linda, mas essa estrofe em especial comove. amei teu blog, bjs

    http://espiritismofacilitado.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  21. Que dizer perante a imponência deste poema? Que adjectivos usar para classificar este poema e seu poeta? Tudo o que dissesse seria sempre pouco...apenas te digo que mereces um louvor de pé pela tua genialidade e dom especial...parabéns Ricardo e sê sempre assim: um poeta de grande sensibilidade...abraço e beijinho

    ResponderEliminar