quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Soltavam-se as ondas em areais de amor

...*...

Soltavam-se as ondas em areais de amor
Molhavam carências por ali desajustadas
Traziam felicidade, convalesciam a dor
Pelo sabor excedente das águas salgadas

Ouviam-se piares em cadência salpicada
As aves caminhavam pelo salutar areal
Pareciam cantar odes de rima salteada
Para felicidade das finas águas do mar

Silêncios de paz envolviam aquele lugar
Espuma e areia juntas se podiam beijar
Onde as vagas vinham acabar em fulgor

Carinhos lembrados em serena paisagem
Ternuras de vida terminavam sua viagem
Soltavam-se as ondas em areais de amor
...............

17 comentários:

  1. Bom dia

    Neste dia frio, e muito ventoso
    E o mar como base do teu pensamento
    São escritos poemas por um talentoso
    TU... que surpreendes a cada momento.

    Maravilhoso poema, onde refresquei meus olhos, logo pela manhã.
    Parabéns Poeta!

    Beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Ricardo
    Sua poesia é linda e perfeita
    Parabéns
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  3. Amigo Ricardo, gostei da expressão, areais de amor e belo soneto, é claro. Gostei de ver as gaivotas nos areais do amor. Mesmo gostando mais do inverno, reconheço que o verão, atual estação no Brasil, tem seu charme.
    Um abração. Tenhas uma ótima 4ª feira.

    ResponderEliminar
  4. Delicioso poema de amor. Colocar as gaivotas está sublime e de muito bom gosto
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Novamente o cenário que tanto adoro...no areal do mar...vendo e ouvindo as gaivotas, sentindo a espuma da água...sentindo a frescura da brisa...tuas palavras enaltecem o amor que sentes na tua alma...por isso és um poeta brilhante...derretes o coração de quem te lê...um abraço e um dia muito feliz

    ResponderEliminar
  6. Faz-me doer o coração de saudade, mas um dia voltarei a passear por esses murais e por essas águas como gaivota passeando e conversando, sim, as gaivotas também sabem falar e amar
    Beijinhos e abraços de tão longe mas de tão perto assim como chegam e partem as ondas do mar

    ResponderEliminar
  7. Achei dos mais Belos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Poema maravilhoso. O mar é um deslumbramenteo

    ResponderEliminar
  9. Que poema bonito, viajando pelas ondas do amor e do enriquecimento poético
    Parabéns pelas maravilhas que aqui nos oferece mostrando ser um poeta com uma sensibilidade ímpar.
    Felicidades poéticas

    ResponderEliminar
  10. Olá, aproveitando a quarta feira de cinzas para viajar pelos blogs e post's. do mundo virtual.
    O encantamento de seus versos é paisagem que deslumbra o imaginário, nesse elo de amor e poesia.
    Venha também passear em :
    www.minhasinspiracoes.blogspot.com.br
    Abraços

    ResponderEliminar
  11. Ricardo. Você se supera dia a dia nos poemas que faz.Esse é uma pérola.Poderia facilmente estar numa coletânea de maravilhas.
    Viajo em suas palavras,vejo-me no cenário encantado desse mar.

    Parabéns,amigo poeta.

    Seu blog sempre estará na minha lista de favoritos.

    Feliz quarta-feira

    Beijos


    Donetzka

    ResponderEliminar
  12. Bom dia, "soltavam-se as ondas em areais de amor," é uma bela expressão para inicio do bom poema que escreveu, como sempre acontece, consegue revelar em cada palavra o seu romantismo.
    AG

    ResponderEliminar
  13. Um excelente soneto com cheiro a maresia, e com o som das ondas e das gaivotas.
    Muito boas imagens poéticas!
    xx

    ResponderEliminar
  14. coincido con el comentario que destaca la primera frase que da título al poema
    sublime
    abrazos

    ResponderEliminar