segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Fosses tu o pôr-do-sol do além

...

Fosses tu o pôr-do-sol do além
E a luz do entardecer fosse eu
Trovava o escurecer por quem
Leva consigo o coração meu

Fosses tu o entardecer que reluz
Calor ardente, que me aquecesse
Trocaria meu escurecer sem luz
Por um olhar teu que merecesse

Podes não ser o pôr-do-sol que vejo
Quando sinto a ternura do teu beijo
E recordo tão belo e feliz momento

Sendo tu minha açucarada paixão
És doce pôr-do-sol em meu coração
Iluminas de luz, meu pensamento
.......

18 comentários:

  1. Poema bem açucarado de carinho e sensibilidade.

    [Podes não ser o pôr-do-sol que vejo
    Quando sinto a ternura do teu beijo
    E recordo tão belo e feliz momento]..........O Por-do-sol é testemunha de muitos segredos.
    Soberbamente belo!

    Parabéns
    Bom feriado, beijo.



    ResponderEliminar
  2. Um poema repleto de doçura, que nos enleva com tanta ternura e nos faz sonhar com um amor assim...sublime Ricardo...és um dos mestres do romantismo...tua sensibilidade e capacidade de amar está bem patente nas ruas palavras e emoções...ao partilhares conosco não só partilhas a tua arte como nos fazes sonhar e desejar...adorei...um feliz feriado para ti e um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Que posso dizer?...Pode esse alguém não ser um pôr do sol, mas irradia decerto uma luz que te ilumina!
    Um poema muito bom! Rimas fantásticas.
    xx

    ResponderEliminar
  4. Muito bonito o seu poema,
    Parabéns

    ResponderEliminar
  5. Como sempre, não me canso de o ler... Para mim, são as melhores poesias que já algum dia li. Adorei
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Quanto talento! Lindo de doer, este poema! Gostei muito.

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Poema maravilhoso com palavras de sedução e amor
    Bjis

    ResponderEliminar
  8. Lindo demais.
    Fez-me lembrar o primeiro beijo que dei ao meu amor, que foi numa tarde amena. Mas no sitio onde o demos não dava para ver o por-do-sol.eheheh

    Parabéns por escrever tanta vez, poemas em que identifico. Daí gostar de o visitar sempre que tem poema. Nunca vi ninguém a escrever tão bem como o Sr Ricardo.

    {Neste cantinho é um sitio onde gosto de ler e anteriorizar tudo, fico com alma mais leve.}
    Obrigada por tudo.

    Deixo um beijo de admiração e respeito.

    ResponderEliminar
  9. Amigo Ricardo
    Um doce soneto de amor!
    As minhas felicitações por tanta e tão sensível inspiração!
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  10. Quanta inspiração e sentimento neste pôr de sol amoroso.

    Parabéns, amigo poeta|

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Um poema lendo de morrer!!

    Elisabete Lima

    ResponderEliminar
  12. Esse por do sol esta tudo de bom amei o poema sucesso amigo
    tenha uma semana abençoada Curta e siga o meu canal
    https://www.youtube.com/user/NekitaReis

    ResponderEliminar
  13. Tão bonito, como sempre!!

    Juliana Oliveira

    ResponderEliminar
  14. Olá Cidália, às vezes necessitamos de algo doce e belo.
    Você é uma escritora de mancheia. Belíssimo poema de amor, sensibilidade e meiguice.
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me chamo CIDÁLIA.

      Chamo-me RICARDO...., Sou homem, muito HOMEM e sempre HOMEM

      Beijinho para si.

      Eliminar
  15. Uma alma por demais histérica,
    o corpo padece em sofrer.
    Razão ilusória e quimérica,
    encontra no peito acolher.

    O gosto da delicadeza,
    dos beijos suaves e ternos.
    Do rosto a alva beleza,
    de olhar nostálgico eterno.

    E se o amor não consumir,
    pudera ser castigo de fato,
    vergastando adverso convir.

    Para abrandar o tormento,
    desabitando cruel abstrato,
    te possuir quero por um momento.
    CF

    яυgı∂σs ρσétι¢σѕ ∂α ℓєσα...

    ResponderEliminar