domingo, 5 de outubro de 2014

Surgem os uivos das feras no meu caminho

...*...
.

Surgem os uivos das feras no meu caminho
Que sangram no meu peito como as urzes
Albergam martírios em flor em desalinho
Nas veredas campestres do raiar das luzes

Amor em borbulha num jardim entreaberto
Qual éden de paixão num destino perdido
Raios de luz no silêncio do ousado deserto
Num beijo de amor no teu corpo aquecido

Eterna paixão que mora em dores tamanhas
Vida perpétua que queima minhas entranhas
Quando as flores são o clareza do teu olhar

Brilhem as estrelas na paz da noite escura
Que iluminem meu corpo em suave ternura
E assim os uivos das feras se possam calar
...

12 comentários:

  1. Manuela Pimenta ( Marisol)5 de outubro de 2014 às 16:46

    Um grito de libertação num sonho perpétuo de amor que alguém não soube aproveiutar e feriu de morte esse amor, que fez apagar a luz das estrelas, como se apaga o calor do corpo quando banhado pela suave ternura
    Existem tantos amores assim quais pecados de sofrimento que deixam na alma, ousados desertos.
    LINDO DE MORRER, EMOCIONANTE.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Como sempre fiquei emocionada com mais um poema cheio de amor e tamvez algum desencanto do poeta. Será?
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Sempre belo de ler deixando sempre algo que envolve a vida e nos obriga a meditar embora saibamos que são formulas poéticas mas a verdade é que são semelhanças brutais com factos reais
    Abençoado poeta que nos faz vibrar.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Como sempre Ricardo, és fantástico nos teus poemas. Mais um que merece a bola dourada.
    Tenho muito orgulho em seres o "meu Poeta" Preferido. É muito dificil comentar-te.. Amei

    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde Sr Poeta...
    Bem hoje caprichou, tem um poema tão bonito!!... Este poema está feito para muita gente se indentificar, eu própria, está muito real, coisas que vão acontecendo nas vidas das pessoas. Gostei muito mesmo.

    Bjs bom Domingo

    ResponderEliminar
  6. Magnífico soneto de amor salpicado por alguma mágoa.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Fantástico poema que reflete nas vidas de tantos amores. Ilusões desilusões, traições, etc... etc...Está tão bem elaborado que eu, pelas suas entrelinhas me revejo na parte da desilusão que a vida me deu, mas que uma realidade de vida em tantos.
    Felicito o seu autor pelas palavras bonitas com que nos brinda. E como já disse tudo neste blogue me fascina, a cor, a música que é Divina, e os poemas. Este é lindo demais.

    Parabéns pelo seu talento e pela sua sensibilidade. Imagino que seja portador de um "coração enorme" mas sensível!!

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. LINDO DE MORRER

    Juliana Oliveira

    ResponderEliminar
  9. Um grito tempestuoso neste poema de emoções fortes...onde a mágoa e desilusão estão bem patentes...mais um poema intensamente belo para o teu espólio que continua a enriquecer dia a dia...um abraço Ricardo

    ResponderEliminar
  10. Solo puedo decirte que es precioso, me ha encantado
    Un beso, Ricardo

    ResponderEliminar
  11. Que sua semana seja tão bonita qto os seus versos =)

    ResponderEliminar