segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Na felicidade que não me deu

... * ...
.

Não procuro em ti a saudade
Nem nada que de todo me convença
Apenas procuro a verdade
Que me dê a felicidade
Daquilo que a minha alma pensa

A palavra que tanto faz ferir
Que rasga a precisão insana
Na intenção que me faz perseguir
A verdade que de mim se esqueceu
Que pensa que não se engana
Na tristeza que não renega
Faz o meu coração sentir
A maldade que a mim se apega
Na felicidade que não me deu
.

16 comentários:

  1. Manuela Pimenta ( Marisol)6 de outubro de 2014 às 15:08

    Quem luta e procura a felicidade aqui ou ali vai encontrá-la embora também aconteçam as desilusões que fazem parte da vida. Gostei muito da construção deste poema.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Meu amigo
    À procura da verdade!
    Um poema muito lindo,com uma excelente intenção!
    Parabéns.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  3. E no amor existe verdade?
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Um poema muito bem construído...Uma magoa, revolta quiça desilusão...Quando e procuram verdades e somo traídos com a mentira... Assim é impossível confiar. São tudo coisas que fazem parte da vida.. Mas é triste quando sabemos dos factos e continuamos a ser bombardeados com a falsidade !! Por vezes gostamos de pessoas, e que somos totalmente transparentes, mas não temos sorte.

    Parabéns pelo seu poema... uma reflexão da vida quotidiana de muita gente infelizmente.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Buscando a verdade para acalmar a angústia do coração...poema singelo mas rico em emoções numa ânsia pela verdade...dotado duma sensibilidade notável...parabéns e um abraço Ricardo

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde, procurando a verdade para conquistar a felicidade, poema belo com emoções.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Não acredito que vamos encontrar a verdade no outro... Podemos ver a verdade do outro, mas encontrar a nossa verdade só mesmo dentro de nós! Muitas vezes o outro camufla a própria verdade ou por medo da solidão ou do julgamento alheio, ou ainda de magoar. Enfim, dizem que a verdade nos libertará... Tão difícil esta definição da verdade!
    Um poema sofrido, verdadeiro, naquela ânsia de querer descobrir o que existe por trás das intenções. Um belo poema, sem nenhuma dúvida, questionador e ao mesmo tempo com uma resposta...
    Sorrisos e estrelas na tua semana, amigo!
    Helena

    ResponderEliminar
  8. Muitas vezes as palavras nos ferem e ficam difíceis de serem cicatrizadas.
    Lindo amigo Ricardo.
    Bjs
    Carmen Lúcia

    ResponderEliminar
  9. Triste, mas muito lindo em reflexão.

    Juliana Oliveira

    ResponderEliminar
  10. Um poema que deixa escapar uma tristeza. Alguém dizia em cima: Se no amor existe de verdade.
    Existe, e não pode haver outra coisa que não seja a verdade... quando assim não é, nãos será amor.
    Adorei o seu poema, diferente mas interessante.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Quando não existe verdade, não há amor ou pelo menos relação que resista, à mentira.
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Infelizmente nem tudo no amor são flores...
    Bjusss e feliz semana.

    ResponderEliminar
  13. A verdade , sempre em primeiro lugar, principalmente no amor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Um texto bem escrito,porém triste!
    Mas cheio de emoções!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. As palavras ferem, e essas feridas são mais doidas que bofetões =/

    ResponderEliminar