quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Silêncio...no bater do coração

... * ...
.
Ouve-se o silêncio do infinito
Como uma nota de música
Que vibra na calma da solidão
Uma nota, outra nota
Qual música que embala
Os ramos de árvores gémeas
Se tocando
No barulho do silêncio
Que se ouve ao entardecer
Ao nada o olhar se entrega
Enquanto os ramos ficam nus
Folhas de Outono, caindo
Como notas de música…lá…si…dó
No silêncio do homem só
Que o sossego emudece
Do tudo que está sentindo
Que de tanto não se esquece
Sentado naquele banco solitário
Pensa no além, tristeza, emoção
No silêncio do infinito
Ouve-se o bater do coração
***

27 comentários:

  1. Um poema cheio de sentimento, que só que quem te sabe ler nas entrelinhas entende.

    O Outono é propício às recaídas.

    Adorei o poema, que é tremendamente triste, mas belo.

    """Folhas de Outono, caindo
    Como notas de música…lá…si…dó
    No silêncio do homem só
    Que o sossego emudece
    Do tudo que está sentindo
    Que de tanto não se esquece"" ........."adorei esta parte"

    Beijo e Força!

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso poema em que o silêncio é o bater de um coração apaixonado. Lindo, lindo
    Bjs.

    ResponderEliminar
  3. Tudo maravilhoso..adorei td por aqui.Abraços meus

    ResponderEliminar
  4. Muita tristeza como é regra nos poemas maravilhosos que só na força e silêncio da alma, surge o amor na plenitude do coração
    O Ricardo é um poeta de elevada sensibilidade que encanta que o lê. Estou maravilhada.
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Que lindo!
    onde você busca tanta inspiração?
    Parabéns!
    Beijinho em seu coração!
    Nicinha

    ResponderEliminar
  6. Que poema maravilhoso, embora tenha uma pitada de tristeza,o que o deixa ainda mais mimoso.
    Este Outono está esquisito!
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. A musicalidade do outono colorindo de dourado teus fabulosos versos. Uma pontinha de tristeza se pode sentir embora a ternura envolve cada letra ricamente delineada
    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Eis, mais um belo poema, amigo Ricardo. Um abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderEliminar
  9. Lourdes Piedade Patacas24 de setembro de 2014 às 20:22

    Fascina-me a felicidade com que leio os teus poemas, sempre tão emotivos,
    mas este silêncio de Outono , com a queda das folhas secas como um perfume perdido no além !!!
    Como notas de musica que o sossego emudece..num bater de coração para além do infinito, é lindo.
    Parabéns poeta ; um poema que nos obriga a refletir

    ResponderEliminar
  10. Só uma alma de enorme sensibilidade faz poemas seguidos de poemas de uma beleza impar, como se publicam neste blogue que é adorável. Este poema entrou no silêncio do meu coração
    Bjs.

    ResponderEliminar
  11. Beleza e ternura na solidão do ser humano em cada verso, fazendo com que o poema seja dos mais lindos que li aqui.
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Lindo demais!!
    Beijinhos

    Juliana Oliveira

    ResponderEliminar
  13. Um poema ao som dos versos em notas musicais.
    Adorei ler amigo Ricardo.
    bjs
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  14. Manuela Pimenta ( Marisol)24 de setembro de 2014 às 21:07

    Existem palavras que entram no coração de quem gosta e lê poesia e este blogue através dos seus poemas diversificados é um dos melhores, talvez até o melhor, que tenho o gosto de conhecer e conheço muitos e muitos. Parabéns ao poeta que é soberbo em sensibilidade, ternura e carinho por tudo o que escreve, a mim fascina-me
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Acho que pela primeira vez me consegues deixar sem palavras. Talvez impregnada desse silêncio do infinito, com umas notas musicais ao longe numa qualquer partitura construída a partir de um coração.
    Excelente, Ricardo!
    xx

    ResponderEliminar
  16. Naquele banco solitário, buscaste a inspiração para este magnífico poema. Evocaste as emoções que assolam o teu estado de alma...a tristeza e solidão. Este poema está soberbamente escrito...palavras sabiamente escolhidas. Naquele silêncio só se ouve o bater do coração...Amei Ricardo...És um poeta IN LATO SENSO...

    ResponderEliminar
  17. O silêncio do infinito mesclado ao silêncio do homem só pousou nas tuas palavras e nos trouxe o encantamento da solidão cantada nos versos do teu primoroso poema.
    Mando da nossa belíssima Primavera algumas flores para enfeitar teu coração de sorrisos e estrelas, enquanto o Outono por aí estiver.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderEliminar
  18. Lembranças perdidas no bater do coração. Muito belo!
    Abraço :)

    ResponderEliminar
  19. a melancolia do outono (e da vida) em belas palavras feitas poesia...

    :)

    ResponderEliminar
  20. Qdo tudo está em silêncio podemos até sentir as batidas do coração.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  21. Excelente poema!

    Revi-me nele.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  22. O outono chegando de mansinho, bem devagar como se não desse a mão ao inverno.

    Beijo

    ResponderEliminar
  23. Tem uma solidão que gosto... aquela que a alma pede...
    Lindo poema Ricardo. Deixo um bj poeta.

    ResponderEliminar
  24. Lindo demais amigo Ricardo!
    Fiquei encantada...

    Beijos!

    ResponderEliminar
  25. O silêncio que pode ser calmo, que pode ser barulhento.
    O silêncio que inspira belos poemas.
    abraço

    ResponderEliminar