quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Caem lágrimas em lagos de alva brancura

.............
Caem lágrimas em lagos de alva brancura
Esférulas que enviam dos céus, suavidade
Névoas que embalam corações de ternura
Mostrando quanto é molhada a ansiedade

Gotas de amor correm pela vida irradiada
Salpicos de dubiedade em olhos que choram
Sorrisos tristes em voz dolosa e embaciada
Exigem afeição por palavras que demoram

Limpas gotas lavam a alma da impureza
Numa mente cheia de tortura e incerteza
Que devoram a paz em desdita claridade

Fogem carinhos na irrealidade da tortura
Caem lágrimas em lagos de alva brancura
Que separam o coração da paz e felicidade
.......................

27 comentários:

  1. Tanta angústia e tanta beleza poética neste poema, que invade minha alma com tanta emoção...sinto os salpicos de vários sentimentos que nos transporta para alma do poeta...parabéns mais uma vez Ricardo por mais um primoroso poema...um dia feliz para ti

    ResponderEliminar
  2. Um poetar triste,mas repleto de ternura.
    Lindo amigo Ricardo.
    bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Não foi pressa...
    Apenas não consegui resistir ao poema sem comentar...É uma triste/bela mistura de emoções: ... LINDO DEMAIS!

    Neste dia tão chuvoso onde a melancolia é prioridade.

    [Fogem carinhos na irrealidade da tortura
    Caem lágrimas em lagos de alva brancura
    Que separam o coração da paz e felicidade]

    Sem mais palavras: AMEI

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. triste e lindo,olha como esta a minha alma hoje....gostei....

    ResponderEliminar
  5. Rosaria Marques Marques18 de setembro de 2014 às 15:09

    Poema triste, sentimento de angústia. Mt. emotivo.
    Sem dúvida mais um excelente poema. Parabéns. Um abraço

    Tudo na vida acontece em função do melhor! Acredita, a tua amargura de hoje é, com certeza, a sementinha da tua alegria de amanhã!

    ResponderEliminar
  6. Que lindo poema, além de tristinho...mas gostei muito Parabéns
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde, Gostas de amor que com o tempo, transforma-se em torrencial com a doçura do muito amor, o tempo ditará.
    Poema lindíssimo, como sempre acontece é repleto de romantismo.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Poema lindo em que a tristeza grita por uma palavra de amor. Fiquei emocionada
    Abraço

    ResponderEliminar
  9. A incerteza faz parte da vida do ser humano. É nesta constante de certezas e incertezas que vivemos =)

    ResponderEliminar
  10. Parabéns pelo poema que além de triste é do mais lindo que já li, arrepia o coração. Adorei
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Muito bom!!!! Denota o que vai na alma do meu poeta preferido!

    GABY

    ResponderEliminar
  12. Maravilhosa poesia e imagem! abraços, chica

    ResponderEliminar
  13. A dor, a poesia expressa na alma de um ser humano inigualável, que não se inibe de deixar correr as lágrimas quando o seu coração está triste e a alma não suporta os devaneios da incompreensão. Lutador e como isso é nobreza decerto que um dia o teu coração virá um sorriso no teu olhar pois mereces como ninguém ser feliz. Sei que as palavras são apenas poesia como costumas dizer, mas também sei que como também dizes podem ser GRITOS DA ALMA
    Beijinhos do Sul de França
    ( Filis)

    ResponderEliminar
  14. Poema soberbo como só tu sabes escrever
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  15. Li e reli. Fiquei emocionada com tanta tristeza mas em poesia uma tristeza vibrante que nos chama para imagináveis cenários
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Caem lágrimas em lagos de alva brancura
    Esférulas que enviam dos céus, suavidade
    Névoas que embalam corações de ternura
    Mostrando quanto é molhada a ansiedade
    **********************************************
    Não digo nada deixo-me apenas vaguear pela beleza destas palavras, Parabéns pelo seu blogue que é maravilhoso
    Bjks

    ResponderEliminar
  17. Oi Ricardo,
    Quanta ternura e emoção tem seu coração
    Linda e suave poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  18. Olá, Ricardo
    Poetar faz bem pra quem o faz e para quem lê...
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
  19. Um poema triste, contudo com imagens de leveza, e não carregado de escuridão.
    Belíssimo, Ricardo!
    xx

    ResponderEliminar
  20. Um poema um pouco triste mais maravilhoso, mais a imagem é sensacional de se ver,Ricardo abraços.

    ResponderEliminar
  21. As lágrimas sempre vem no momento certo, quer seja para desafogar a alma ou para colorir um sorriso por alguma descoberta feliz.
    Teu poema chega carregado com uma certa nostalgia, mas como são tão belos os versos que o compõe fica-nos a impressão de que nos trouxeste um pouco da tua riqueza interior.
    Que ao invés de lágrimas te cheguem sorrisos, e no lugar das névoas te cheguem brilhantes estrelas.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderEliminar
  22. Os Efeitos tão contrários da nossa natureza ...os nossos olhos e chorar ...numa visão de ver em momentos de alegria ou tristeza...numa mescla racional ...à natureza ...

    Assim as dicotomias que ditam o ver dos nossos olhos o outro...

    Triste mas não deixa de ser belo porque os olhos são de facto uma inspiração de um espelho em soneto...numa analogia sublime de um lago transparente!

    Sublime que eleva a nossa alma porque os olhos são o seu espelho!

    ResponderEliminar
  23. Maravilhoso, sublime seu soneto! caem gotas de lágrimas que formam rios e lagos... mas depois, abastecem a alma em tempos secos.
    tenha um lindo dia, Ricardo!

    ResponderEliminar
  24. Um poema completamente apaixonante.
    Beijo no coração

    ResponderEliminar
  25. Bom dia

    Gostava que este poema desse lugar a outro.

    Sê feliz.

    ResponderEliminar