domingo, 25 de maio de 2014

Caem dos meus olhos gotas de pranto

...///...

Caem dos meus olhos gotas de pranto
Como desertos de areia giram ao vento
Mares imensos em ais que por ti canto
Quando chora de dor, meu sentimento

Perdidas esperanças de viver em amor
Longos são os olhares de vazia sedução
Delírios de devaneio no obscuro da dor
Lágrimas de deserto dentro do coração

Sonhos tidos no vácuo do desengano
Em palavras sentidas, ditas de engano
Que fazem meus sentidos desfalecer

Nas frases caladas saídas do teu pensar
Que geram dorida mágoa em meu olhar
Nas gotas de pranto que deixo escorrer

...

14 comentários:

  1. bom dia amigo Ricardo,ja ha um tempo nao te via por aqui...ou serei eu que andei perdida? lindo poema, mas triste,os meus amigos andam tristes hoje? sera do tempo?Quero um bem alegre ,com muito sol para todos.Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Normalmente os poemas de amor são tristes, como este, que considero fenomenal
    Feliz Domingo

    ResponderEliminar
  3. Bom dia...Isto será do tempo!!

    Poema triste, mas DIVINO em palavras sentidas...Parabéns..Junta ao lote dos melhores.

    Tem um Domingo Feliz

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Belissímo soneto amigo Ricardo. triste não o direi pois senao ele não brilhava tanto.

    ResponderEliminar
  5. Pois é, Seu Ricardo, e ainda dizem que "homem não chora, só transpira pelo canto dos olhos" (quanta estultice!!). Bela poesia, como sempre.
    Um abraço.
    jrmessi123.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Um poema triste, com sentimentos que vem de dentro da alma.
    Beijos, bom domingo

    ResponderEliminar
  7. Um poema muito triste, de um sentimento de tanto desalento...toca a arribar!...:-)
    Muito belo este soneto!
    xx

    ResponderEliminar
  8. Meu amigo

    Um poema nostálgico, mas muito belo. Emoções à flor da alma.

    Um beijinho

    Sonhadora



    ResponderEliminar
  9. Lourdes Piedade Patacas25 de maio de 2014 às 20:46

    São poemas, ora alegres, ora tristes , mas todos com conteúdo, mas nunca "perder a esperança de viver em amor ". Gostei. Bom domingo Ricardo

    ResponderEliminar
  10. Poema triste, mas tão belo e forte nas suas palavras, e sentimentos.

    Amei.
    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Meu amigo a dor tão bem descrita neste nostálgico mas belissimo poema.
    Ricardo amanhã vou publicar o seu poema " Papoilas vermelhas em campos de amor...", espero sinceramente que goste da forma como o apresento, caso não seja do seu agrado por favor me diga que eu alterarei o que achar conveniente.
    Um beijinho
    Maria

    ResponderEliminar
  12. A gota que sai para lavar e sarar a dor na alma!

    Sublime!

    ResponderEliminar
  13. Dizem que a esperança é a última que morre, porém, por vezes sentimos "Perdidas esperanças de viver em amor", como diz esta frase no seu poema.
    abraço

    ResponderEliminar
  14. Amigo Ricardo
    Quando perdemos as esperanças, os nossos olhos derramam muitas lágrimas!
    Mas logo se alegram, ao lerem o seu poema. Parabéns.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar