domingo, 28 de agosto de 2011


Se adivinhasses o meu pensamento

Se sentisses como sofre o meu coração

Talvez perdesses um pouco de tempo

Dando-me o textura da tua mão


Se soubesses como te admiro

Se a erudição te deixasse olhar

Verias que nunca me retiro

Da sapiência de te desejar


Se visses como os teus lábios sorriem

Se o teu espelho te falasse ao ouvido

No coração e na alma sentirias

Que a nossa desunião não faz sentido


Dá-me a tua mão e anda comigo

Pelos campos amor espalhando

E verás que faz todo o sentido

Nós dois, juntos, caminhando

1 comentário:

  1. Suas poesias são maravilhosas!
    Gostei muito de sentir cada uma das palavras...

    ResponderEliminar