segunda-feira, 25 de maio de 2009

A formosura da ... agua na sua solidão


Correm leitos pelo meu pensamento
Suaves palavras de alerta temporal
Imagens de melindrados momentos
Passados no escuro do sonho imoral

Frios de sentido, ventos me trespassam
“Lâminas” que cortam as raízes do ser
Memórias de rios que brotam e passam
Que alvorecem em mim antes de nascer

Amores em delírio em promessas ditam
Alvoroços de sentimentos desajustados
Carinhos que embalam, vão e ficam
Em corações destruídos e resignados

Na viagem entre dédalos de memória
Sofrem os desejos de alvorada decisão
Frescas promessas de ilimitada glória
Abrem e aformoseiam o meu coração
.
Reeditado em 25.09.2013

5 comentários:

  1. Lindas palavras amigo!!

    Bjos e boa semana!!!

    ResponderEliminar
  2. Lindo demais!!!

    Boa semana pra ti...bjo!

    ResponderEliminar
  3. O que dizer de versos assim tão belos? Que me comoveu e " Correm leitos pelo meu pensamento....'


    Obrigada, amigo. Um carinhoso beijo

    ResponderEliminar
  4. Ficaste com o teu coração ainda mais formoso? Acho quase impossível!
    :)

    ResponderEliminar
  5. lindo poema caro águia, sempre e cada vez melhor

    ResponderEliminar