terça-feira, 2 de dezembro de 2008


Se a tua alma eu pudesse ver
E nela conseguisse entrar
Talvez viesse a saber
Que dentro do teu ser
Existe algo que não te deixa amar

A tua alma guia o teu caminho
Onde a sombra te entristece
Não te deixa ter carinho
Engasta esse teu ar meiguinho
E a tua pele, envelhece

Liberta-te para crescer
Acredita na tua alma ditosa
Não deixes desaparecer
Esses olhos lindos de morrer
Que mostram seres maravilhosa

Deixa ver esse teu passo seguro
Já sem medo de caminhar
Acredita que existe futuro
E mesmo que para ti seja duro
Deixa-me os teus olhos olhar

4 comentários:

  1. A nossa alma fica por debaixo do céu. E às vezes há nuvens, outras vezes, não.

    ResponderEliminar
  2. mantenho os meus comentários, desta feita, escritos, parabéns ao arrumador de carros, que assim demonstra que não precisa mais do que aquilo que lhe vai na alma, no pensamento... devaneios, rasgos de grande imaginação literária... parabéns.

    ResponderEliminar