quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Dias iguais, mas tão diferentes.

Eu não queria
Mas, hoje, pela noite
Ao fim do dia
Vou ver-te passar
Desviar o olhar
Bolo na mão

Alegria, satisfação
Perfeita união
Que deitas fora
Sem razão
E eu ali, sentado

Pobremente deitado
Acompanhado
Pelo meu único amigo
O meu cão
Que olha um prato vazio
De comida e esperança
Parecendo perguntar:
Hoje não é Natal, pois não?

2 comentários:

  1. Não são diferentes, são repetidos: lá de onde aonde, tanto os dias sim como os dias não, parecem e aparecem, repetidos. Ciclos, em espiral.

    ResponderEliminar