quinta-feira, 20 de novembro de 2008


Olho a chuva que cai
Lavando ares e marés
Certinha num compasso
De quem chega e se evapora
Se esgota a cada passo
Como se “fechasse os olhos” ao tempo
Do que sabe e vê
E que o vento molhado se retrai
Não nos diz se vem ou vai
Mas afoga-nos no pensamento
Sentidos revoltos frios de valor
Como a chuva que cai, com ardor
E penso
Como é livre o vento
Que bate mansinho e traz a vida
A chuva que rega a erva ressequida
Qual alma de amor esquecida
E sorrio
Por ver como a água cai lá fora
Parece “gritar” laivos na demora
Lavando estradas e aos campos aflora
E reparo
Como está caindo pureza que vem e vai
E num bocejo de alma aquecida
Pelas gotas da própria vida
Olho a chuva que cai

11 comentários:

  1. Ricardito, está lindo, maravilhioso como só tu sabes escrever. Orgulho-me de ser tua amiga, desculpa mas já gravei.
    As maiores felicidades para este teu novo projecto que me encanta. Milhões de beijinhos.

    Fernandita

    ResponderEliminar
  2. Ke bonito. Ke sensibilidade mostra aqui o poeta aguialivre, estou fascinada.
    Beijinhos

    Inês

    ResponderEliminar
  3. Sem palavras por ser tão belo e profundo.

    Um abraço
    Ruiresende

    ResponderEliminar
  4. Bom dia!!
    palavras para quê!!
    renasceu o poeta
    lindoooooo....
    ..

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde, amigas/os

    É um prazer receber o vosso apoio.

    Fico feliz por gostarem das palavras ocas que escrevo

    O meu sincero obrigado

    Fiquem bem.
    .

    ResponderEliminar
  6. É tão bom ler a tua poesia.
    Estou que nem posso... de tanto encantada :)

    Preciso de um poema para ler... na faculdade. lol
    Recorrer a grandes poetas?? Não, não é preciso, pois já encontrei um.
    Águia, se me permitires, gostaria que me cedesses um dos teus belos poemas. :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Minha Nossa Senhora!!!!

    Mais uma do arrumador que, para não variar vai ter um enorme sucesso!!!

    ResponderEliminar
  8. Amigo Ricardo parabéns por este cantinho acolhedor.
    Já agora e com permissão do autor:

    Para não fazeres ofensas
    e teres dias felizes,
    não digas tudo o que pensas,
    mas pensa tudo o que dizes.

    Vai subindo lentamente,
    só assim serás alguém,
    que quem sobe de repente
    raramente sobe bem.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  9. @ Ana

    Não exageres, lol

    Mas sabes que gosto (e muito) da tua simpatia.

    Não para a escola - porque não têm essa qualidade - mas para ti, retira os que quiseres

    Um beijinho

    Fica bem
    .

    ResponderEliminar
  10. Ó Águia, estou a falar a sério.
    Adorei, em especial, este teu poema. :P

    Vais ver que toda a gente vai adorar.

    Se me permites, então, vai ser este mesmo.
    Quando o ler, digo-te as reacções ;)


    beijinhos

    ResponderEliminar